INFLAÇÃO NA RMS EM 2021 FOI A MAIS ALTA DO NORDESTE

INFLAÇÃO NA RMS EM 2021 FOI A MAIS ALTA DO NORDESTE

A Fecomércio-BA publicou nesta sexta-feira, 14, uma avaliação sobre a situação da Região Metropolitana de Salvador que, no ano passado, registrou aumento nos preços de 10,78%, bem acima dos 4,31% de 2020. A avaliação tem como base os dados do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Para a entidade do comércio no estado, chamou a atenção que, entre as cidades que o IBGE realiza a coleta para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no Nordeste (Salvador, Fortaleza, Aracaju e Recife), a RMSA registrou a maior variação.

Assim, de acordo com o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze, essa inflação elevada é decorrente, principalmente, dos preços dos combustíveis. “O etanol, por exemplo, variou 59,59% em 2021. No caso da gasolina, o avanço foi de 52,06% e o óleo diesel com alta de 50,45%. Isso sem falar no combustível doméstico, o gás de botijão registrou aumento de 34,63%”, destaca o economista.

A Fecomércio-BA ressalta que os aumentos não foram exclusivos da região. É um problema global da crise de energia e combustíveis, em que o preço do petróleo disparou no mercado internacional ao longo de 2021 e que impactou não só a gasolina, mas como os seus derivados. “No caso específico do etanol, foi mais um problema interno de quebra importante da safra da cana-de-açúcar e que, ao diminuir a oferta, os preços sobem na ponta”, acrescenta o consultor econômico.

 

Foto: Divulgação