SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS ANUNCIA PARALISAÇÃO NA ENTRADA DA LAPA NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA

SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS ANUNCIA PARALISAÇÃO NA ENTRADA DA LAPA NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA

O vereador e presidente do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira, anunciou em sua conta no Instagram uma paralisação da categoria na próxima terça-feira (23), às 10h, na entrada da Estação da Lapa. Segundo o presidente, a situação que envolve os trabalhadores da antiga CNS ainda não foi resolvida.

Em sua conta no Instagram, Hélio convocou os rodoviários para o movimento: “companheiros, quero convidar todos os trabalhadores que atuavam na CSN para uma Grande Manifestação na próxima terça-feira, dia 23, às 10h, na entrada da Lapa. Estamos buscando uma resposta para resolver as nossas pendências. Aproveito para estender o convite para todos os colegas em solidariedade aos trabalhadores da antiga CSN. Precisamos avançar na questão da venda dos terrenos como também na questão do plano de saúde que foi suspenso para aqueles companheiros que ainda não começaram a trabalhar. Vamos para as ruas com o objetivo de sensibilizar as autoridades para resolver os nossos problemas. Conto com a presença de todos vocês!”.

“Tem a situação do pessoal que estava no Reda e ainda não começou nas outras empresas, que não começou a trabalhar, e por isso está sem plano de saúde, e que não tem seguro desemprego. A homologação está no acordo feito com a CSN, mas pra pagar precisa vender as garagens. E a gente quer pedir apoio do prefeito pra ver se consegue vender esse terrenos”, declarou.

Questionado sobre quem seria o responsável por resolver as pendências citadas, Hélio Ferreira explicou que “a questão do plano de saúde é de responsabilidade da prefeitura, porque esse pessoal estava no Reda. A questão da venda dos terrenos a gente acha que ele [o prefeito] pode ajudar. A CSN deu as garagens para vender, mas esse processo tá muito lento”. Ainda de acordo com Hélio, as quatro garagens em questão valem cerca de R$ 54 milhões, quantia suficiente para quitar todas as dívidas da empresa com os trabalhadores.

Foto: divulgação