ÓRGÃOS FEDERAIS ACENAM PARA A REALIZAÇÃO DE NOVOS CONCURSOS EM 2022

ÓRGÃOS FEDERAIS ACENAM PARA A REALIZAÇÃO DE NOVOS CONCURSOS EM 2022

Depois de um 2020 com concursos suspensos e um 2021 com poucas oportunidades em virtude da pandemia, o próximo ano acena com boas possibilidades para aqueles que desejam ingressar numa carreira pública e em cargos federais. Entre os concursos mais concorridos estão o do Banco do Brasil, Correios, ICMBio, INSS, DNITC,CGU, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Receita Federal.

De acordo com o advogado e professor de cursos preparatórios André Malheiros, os quase dois anos sem a realização de seleção, aliado à vacância de cargos de muitos servidores, que se aposentaram ou foram vitimados pela COVID-19, tornou a realização de concursos uma necessidade real. “Além da quantidade de vagas, as remunerações desses cargos também são fatores de atração para quem deseja ingressar no serviço público”, complementa.
CGU

O concurso da Controladoria-Geral da União(CGU) é um dos mais próximos e já teve autorização para lançamento de edital com a perspectiva de oferecer 375 vagas efetivas, como foi informado pelo ministro Wagner Rosário. São 300 vagas para Auditor Federal de Finanças e Controle (nível superior) e 75 vagas para Técnico Federal de Finanças e Controle (nível médio ou técnico). Vale destacar que o déficit de servidores na Controladoria é de mais de 3.000 profissionais, sendo que são 1.708 vacâncias no cargo de técnico e 1.390 vacâncias no cargo de auditor.

O prazo para a publicação do edital vai até final de janeiro de 2022 e, de acordo com portal Acesso à Informação, o órgão público conta com apenas 292 servidores técnicos e 1.610 profissionais auditores, representando uma pequena porcentagem para uma necessidade estimada em, pelo menos, 5 mil vagas.

Para auditor fiscal, é necessário diploma ou certificado, devidamente registrado, de curso de ensino superior em qualquer área de formação, inclusive licenciatura plena, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), as remunerações iniciais são de R$ 19.197,06, com perspectiva de alcançar R$ 27.369,67 na última classe de progressão. O técnico precisará de certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio ou de curso técnico equivalente, expedido por Instituição de Ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), com salários iniciais de inicial de R$ 7.283,31, com perspectiva de alcançar R$ 12.514,58 na última classe de progressão.

OUTROS

A Receita Federal do Brasil é outro concurso bastante aguardado para suprir vagas de auditor-fiscal e analista-tributário. Ano passado, a solicitação de concurso previa 3.360 vagas efetivas, mas o Ministério da Economia liberou apenas 699 postos (nível superior): 230 vagas para Auditor-Fiscal e 469 vagas para Analista-Tributário. A expectativa era que o edital fosse publicado em setembro, mas isso não se concretizou.

O déficit de servidores é, atualmente, estimado em cerca de 22 mil servidores e, para o SindiReceita, a ausência de um concurso pode implicar no fechamento de unidades em todo o país. O cargo de Auditor-Fiscal possui uma remuneração de mais de R$ 20 mil mensais e o de Analista pode chegar a iniciais R$ 12 mil, em valores. Para essas funções, exige-se o nível superior em qualquer área. Além desses valores, os efetivados contam com auxílio-alimentação no valor de R$ 458 e demais benefícios da carreira, como o plano de saúde.

Já o cargo de Assistente Técnico-Administrativo, caso seja contemplado, precisa ter completado o ensino médio. A remuneração inicial corresponde a um valor acima de R$ 3,7 mil mensais, contando com o auxílio-alimentação.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) solicitou a abertura de 1.744 vagas para a realização de seus novos certames. No entanto, o que se sabe é que a seleção contemple, pelo menos, 140 auditores fiscais agropecuários por meio de concurso. A categoria está com déficit de ao menos 5.579 servidores no MAPA. Para se ter uma ideia, estavam em falta 1.600 profissionais somente na categoria de Fiscalização Animal.

A Comissão Nacional de Energia Nuclear, autarquia federal vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações solicitou 798 vagas, divididas em: analista em Ciência e Tecnologia Júnior: 139 vagas; Assistente em Ciência e Tecnologia: 81 vagas; Pesquisador: 73 vagas; Tecnologista Júnior: 319 vagas; Técnico: 186 vagas.