AUXÍLIO BRASIL É POLÍTICA MAL PLANEJADA, DIZ DANIEL ALMEIDA

AUXÍLIO BRASIL É POLÍTICA MAL PLANEJADA, DIZ DANIEL ALMEIDA

De olho em 2022, Bolsonaro aposta no programa Auxílio Brasil como “solução” para diminuir o impacto de sua má gestão na vida da população. Com milhões de brasileiros passando fome, pagando por ossos e tirando comida de caminhões de lixo para se alimentar, Bolsonaro planeja lançar, no lugar do programa Bolsa Família, um novo auxílio, que deve pagar entre R$ 300 e R$ 400, numa clara tentativa de se manter apto à disputa eleitoral do próximo ano.

Sem regras claras, o novo auxílio de Bolsonaro seria lançado na tarde desta terça-feira (19), mas o evento no Palácio do Planalto foi cancelado minutos antes de ter início. De acordo com informações divulgadas pela imprensa, o anúncio de que Bolsonaro teria decidido subir o valor do auxílio repercutiu negativamente no mercado financeiro, com o dólar disparando e a Bolsa tombando mais de 3%.

No Plenário da Câmara, o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) se manifestou sobre o programa de Bolsonaro. “O Brasil tem assistido nos últimos dias a cenas dramáticas que expressam a fome no nosso país, como as pessoas disputando o lixo no caminhão, a disputa por ossos. Infelizmente, as cenas com essas características se espalham país afora. São cerca de 30 milhões de brasileiros que não têm segurança alimentar e o governo está extinguindo o Bolsa Família; o auxílio emergencial, que Bolsonaro reduziu, acaba este mês. A carestia tomou conta do nosso país. É preciso condenar a extinção do Bolsa Família. Se substituírem o Bolsa Família pelo programa que eles estão anunciando, isso cobriria a metade daqueles que estão com o direito de acesso ao Bolsa Família, que precisam de uma renda e que são mais de 30 milhões de brasileiros, e esse valor cobriria no máximo 7 milhões de brasileiros”, disse Almeida.

Foto: divulgação