BILIONÁRIAS BATEM RECORDE E BRASILEIRAS ENTRAM NO ‘TOP 10’

BILIONÁRIAS BATEM RECORDE E BRASILEIRAS ENTRAM NO 'TOP 10'

A presença de mulheres na lista de bilionários da Forbes bateu recorde em 2021. Segundo levantamento, houve um aumento de mais de 35% na representatividade feminina entre os bilionários do mundo, em relação ao ano anterior. Suas fortunas somadas chegam a US$ 1,53 trilhão. Hoje, já são 328 mulheres que atingiram a casa dos bilhões, mais do que a marca de 241 alcançada no ano passado. Segundo a Forbes, doze delas compartilham seus patrimônios com o marido, filho ou irmão.

Entre os nomes, a herdeira da L’Oreal, Françoise Bettencourt Meyers, é a mulher mais rica do mundo, com uma fortuna avaliada em US$ 73,6 bilhões; e a cofundadora do aplicativo Bumble, Whitney Wolfe Herd, também a mais jovem bilionária, com apenas 31 anos. As informações são do Valor Investe. No início deste ano, Herd abriu o capital de sua empresa de relacionamentos, o que a possibilitou acumular um patrimônio avaliado em US$ 1,3 bilhão. A jovem empresária é uma das 63 mulheres que estão, pela primeira vez em 2021, na lista anual dos bilionários mundiais da Forbes.

Quem também comparece à lista é a ex-esposa do fundador da Amazon, MacKenzie Scott, que herdou o patrimônio de US$ 53 bilhões no divórcio. Mas os dias de Scott como bilionária estão contados. No ano passado, ela garantiu que vai doar sua fortuna “até que o cofre esteja vazio” para instituições de caridade dos Estados Unidos.

No Brasil, 11 brasileiras receberam o título de bilionárias em 2021, o que representa 17% do total mundial. As três que completam o pódio de bilionárias brasileiras têm fortunas oriundas de setores completamente diferentes entre si. Nomes como Vicky Sarfaty Safra, viúva do banqueiro Joseph Safra, falecido em dezembro de 2020 e atualmente a mulher mais rica do Brasil, com R$ 37 bilhões de patrimônio e Luiza Helena Trajano, proprietária da Magazine Luiza, com fortuna avaliada em R$ 23,5 bilhões, já despontam no top 10 de bilionários do país, sendo as únicas mulheres do levantamento. Dulce Pugliese de Godoy Bueno, cofundadora da rede de planos de saúde Amil, é a terceira mulher mais rica do Brasil, com patrimônio estimado em R$ 14,2 bilhões.

 

O ranking feminino tem, ainda, Flávia Bittar Garcia Faleiros (R$ 11 bilhões), acionista da Magazine Luiza; Maria Helena Moraes Scripilliti (R$ 10,5 bilhões) uma das proprietárias do Grupo Votorantim; Lúcia Borges Maggi e Marli Maggi, do ramo alimentício, cada uma com fortuna de R$ 10,4 bilhões; Ana Lúcia de Mattos Barretto Villela (R$ 8,5 bilhões), membro do conselho de administração do banco Itaú; Gisele Trajano (R$ 7,2 bilhões), herdeira de Onofre de Paula Trajano, da rede Magazine Luiza; e Camilla Godoy Bueno aparece como a décima mulher mais rica do Brasil, com patrimônio estimado em R$ 7 bilhões, apesar das perdas recentes nas ações da Dasa.

 

Mulheres mais ricas do Brasil em 2021

Top 10 bilionárias brasileiras vai de varejo a saúde

Bilionárias Segmento/ Empresa
1 – Vicky Sarfati Safra (R$ 37 bilhões) Finanças e investimentos/ Banco Safra
2 – Luiza Helena Trajano (R$ 23,5 bilhões) Varejo/ Magazine Luiza
3 – Dulce Pugliese Godoy Bueno (R$ 14,2 bilhões) Saúde/ Amil
4 – Flávia Bittar Garcia Faleiros (R$ 11,18 bilhões) Varejo/ Magazine Luiza
5 – Maria Helena Moraes Scripilliti (R$ 10,5 bilhões) Diversos/ Votorantim
6 – Lucia Borges Maggi (R$ 10,4 bilhões) Alimentos/ Maggi
7 – Marli Maggi (R$ 10,4 bilhões) Alimentos/ Maggi
8 – Ana Lúcia de Mattos Baretto Villela (R$ 8,5 bilhões) Finanças e investimentos/ Banco Itaú
9 – Gisele Trajano (R$ 7,2 bilhões) Varejo/ Magazine Luiza
10 – Camila Godoy Bueno Grossi (R$ 7 bilhões) Saúde/ Dasa

 

 

 

 

 

Foto – Lailson Santos-Divulgação