COMPORTAMENTO É O QUE MAIS PESA NA SAÍDA DO EMPREGO

COMPORTAMENTO É O QUE MAIS PESA NA SAÍDA DO EMPREGO

Pesquisa da The School of Life em parceria com a Robert Half mostra que o comportamento inadequado pode custar o emprego. Além disso, quase todos os entrevistados disseram que já trabalharam com pessoas emocionalmente instáveis, agressivas ou manipuladoras e quase a metade já pediu demissão por causa do mau relacionamento com colega ou chefe. A Pesquisa Inteligência Emocional e Saúde Mental no Ambiente de Trabalho foi feita de 15 de julho a 10 de agosto com 491 profissionais (296 líderes e 195 liderados).

Questionados se já trabalharam com alguma pessoa emocionalmente desafiadora (com perfil manipulador, humor instável ou com algum nível de agressividade), 93,58% dos líderes responderam que sim. Já entre os liderados, o índice foi de 88,21%. “Saber lidar com pessoas, colegas e equipes é uma das grandes habilidades valorizadas hoje em dia. Precisamos nos comunicar bem, entender os nossos pontos cegos, dominar as nossas emoções e considerar um pouco mais o ponto de vista da outra pessoa. Somos capazes de ir além da fofoca e nos tornarmos mais leves e serenos”, afirma Diana Gabanyi, diretora e sócia-fundadora da The School of Life.

A pesquisa mostra ainda que 60,47% dos líderes já demitiram porque a pessoa tinha um comportamento inadequado (atitudes ou comentários inconvenientes ou incompatíveis com o ambiente e a cultura da empresa). “Existe uma máxima no mercado de trabalho que diz que os profissionais são contratados pelo perfil técnico e demitidos pelo comportamento. Hoje, com as competências comportamentais já performando um enorme grau de relevância nos processos seletivos, a afirmação não poderia ser mais atual, o que também explica a expressiva porcentagem de gestores que revelaram já ter desligado colaboradores por conta de atitudes inadequadas, diz Maria Sartori, diretora de recrutamento da Robert Half.

Pesquisa mostra o que mais dá ‘match’ entre profissionais e empregadores

Além disso, 47,69% dos liderados já pediram demissão motivados pelo mau relacionamento com um líder ou membro da equipe. E 74,87% disseram que o que mais admiram em um líder é o comportamento, seguido pelo conhecimento/experiência (24,62%). “Além do comportamento, um bom clima organizacional é importante para o sucesso dos negócios e manutenção do bem-estar da equipe de trabalho. O ‘fit cultural’ está entre uma das prioridades dos candidatos, assim como o bom relacionamento interpessoal. Proporcionar um ambiente de trabalho agradável, a fim de manter as pessoas motivadas, deve estar entre os principais objetivos de qualquer gestor, e isso só é possível por meio do exercício diário da empatia, transparência e da manutenção de boas relações com os membros da equipe”, conclui Maria Sartori.

 

Foto: Campaign Creators/Unsplash