LÍDICE DEFENDE INVESTIMENTO NO COMBATE E PREVENÇÃO DE PRAGA TÍPICA DA LAVOURA CACAUREIRA

LÍDICE DEFENDE INVESTIMENTO NO COMBATE E PREVENÇÃO DE PRAGA TÍPICA DA LAVOURA CACAUREIRA

Durante sessão especial da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, na tarde desta segunda-feira (13), para debater o Controle Fitossanitário da Monilíase do Cacaueiro, a deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) chamou a atenção para a necessidade de um combate rápido e forte à monilíase em território brasileiro, “e isso tendo a pesquisa como destaque, pois sem a ciência não temos como ir à frente nessa batalha”.

A parlamentar baiana também enfatizou a necessidade de se acelerar as pesquisas com material genético tolerante, criando clones de cacau e cupuaçu resistentes à monilíase.

Transmitida pelos canais da Câmara, em Brasília, a sessão teve participações presenciais e também virtuais como as de técnicos e pesquisadores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) e da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (SEAGRI), dentre outros órgãos e instituições.

A audiência foi acompanhada, virtualmente, pelo Secretário da Agricultura da Bahia, João Carlos Oliveira, e pelo diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Oziel Oliveira, dentre outras autoridades baianas ligadas ao setor agropecuário.

Outras ações também foram defendidas pelos técnicos em suas exposições, como os controles cultural, biológico e químico, além da implantação de um manejo adequado. Chamou-se a atenção para a necessidade de toda uma campanha educacional e informativa sobre o tema, bem como foi destacada a necessidade de criação de material que referencie as ações nos estados, a exemplo da Nota Técnica emitida na Bahia pela Adab.

 

Foto: Cleia Viana/Agência Câmara