RENTABILIDADE DA POUPANÇA EM 12 MESES É A PIOR DESDE 1991

RENTABILIDADE DA POUPANÇA EM 12 MESES É A PIOR DESDE 1991

A poupança completou 12 meses seguidos de perdas descontando a inflação, segundo dados da provedora de informações financeiras Economatica. Com a inflação acumulada de 9,68% nos 12 meses até agosto, a rentabilidade da caderneta ficou negativa em 7,15% no mesmo período. Esse nível de perdas não era visto desde outubro de 1991, quando o poupador perdeu 9,72% do poder aquisitivo em 12 meses.

Segundo informações do G1, pela regra em vigor desde 2012, quando a Selic está abaixo de 8,5% a correção anual da caderneta de poupança é limitada a um percentual equivalente a 70% dos juros básicos mais a Taxa Referencial (TR, que está em zero desde 2017). Com a Selic atualmente em 5,25%, o rendimento da poupança é de 3,675% ao ano – bem abaixo da inflação, o que faz com que o poupador tenha perdas no poder aquisitivo, apesar do ganho nominal (em reais).

Outros ativos

Não é só a poupança, no entanto, que acumula perdas. O ouro tem o pior desempenho, com queda de 20,54% descontada a inflação e recuo de 12,85% em valores nominais. No mês de agosto todas as aplicações têm rentabilidade negativa sendo que o índice de fundos imobiliários (IFIX) registra a maior queda com -3,47% descontada a inflação e -2,63% nominalmente.

Entre os ativos avaliados, apenas a Bovespa e o Bitcoin tiveram rentabilidade positiva nos 12 meses até agosto. Nesse período, o Bitcoin registra rentabilidade de 248,76% descontada a inflação medida pelo IPCA. Já entre as aplicações tradicionais, o Ibovespa é o único que tem rentabilidade positiva, com 8,99% descontada a inflação. O Bitcoin no mês de agosto teve rentabilidade positiva descontada a inflação de 11,62%.

 

Foto: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil