JAQUES WAGNER QUER ESCOLHER O CANDIDATO DA OPOSIÇÃO E ACM NETO PODE FICAR DE FORA

JAQUES WAGNER QUER ESCOLHER O CANDIDATO DA OPOSIÇÃO E ACM NETO PODE FICAR DE FORA

O ex-governador Jaques Wagner já está sacramentado como candidato a governador na chapa que vai reunir o PT, o PSD, e talvez o PP, além de outros partidos. A vinda de Lula à Bahia sacramentou  o nome de Wagner e a Presidente do PT, Gleisi Hoffman, afirmou em entrevista que ele é o nome capaz de unir todas as correntes que hoje apoiam o governo do Estado. Mas, além de definir quem vai ser o candidato, o PT definiu também qual será o melhor candidato da oposição para Wagner enfrentar e esse candidato não é ACM Neto. Para o PT, João Roma seria o candidato ideal para Wagner enfrentar, não só porque seria mais fácil de ser vencido, mas também porque assim a polarização entre Bolsonaro e Lula estaria definida e isso só traria benefícios para a candidatura Wagner, cada vez mais atrelada ao destino de Lula.

Wagner já está pondo em prática essa orientação e nas últimas semanas passou a mirar o Ministro da Cidadania nas suas declarações. Semana passada, o ex-governador disse com todas as letras que a eleição do próximo ano no estado pode ser entre ele e o ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), escanteando o ex-prefeito ACM Neto (DEM).

Recentemente Wagner rebateu as declarações de Roma, que afirmou que nunca se fez tanto pela Bahia quanto no governo do presidente Jair Bolsonaro, e disse  o ministro não sabia fazer conta. E acrescentou dizendo, durante a visita do ex-presidente Lula (PT), na Policlínica de Narandiba, em Salvador,

 que se mandasse a lista de obras do governo estadual ele ficaria atordoado. Referindo-se às obras do governo federal nas rodovias na Bahia, citadas por Roma, afirmou:  “É bom que o governo federal conserte as rodovias federais para ficarem parecidas com as rodovias estaduais”.

O mais interessante é que João Roma também joga em prol dessa polarização e em passagem por Eunápolis na sexta-feira (27) , disse que Wagner estava errado reiterando que Bolsonaro era quem mais estava fazendo mais pela Bahia. “E eu estou preparado pra passar essa conta a limpo. Porque só no auxílio emergencial, no ano passado, a Bahia recebeu mais de 25 bilhões de reais”, afirmou.

 Na verdade, Wagner quer Roma como adversário e Roma também quer tê-lo como seu oponente, pois essa seria a única possibilidade de ter sucesso na sua empreitada pelo governo do Estado. Nesse quadro, quem precisa estar atento é ACM Neto, que hoje lidera as pesquisas, mas não pode ficar à margem das discussões sob pena de, correndo por fora, ficar alijado da disputa.