PNUD APOIA DESENVOLVIMENTO DOS TERRITÓRIOS DE BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NE

PNUD APOIA DESENVOLVIMENTO DOS TERRITÓRIOS DE BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NE

A Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) está elaborando um Plano de Ação para ampliar o impacto de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento sustentável dos territórios das bacias hidrográficas dos rios Parnaíba, São Francisco e nos municípios do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

O objetivo é estimular atividades econômicas de maior valor agregado e capacidade de inovação. O plano tem como base conceito desenvolvido pela Universidade de Harvard e pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), segundo o qual alguns setores produtivos são chave por estabelecer importantes conexões com as demais atividades econômicas, induzindo o desenvolvimento sustentável e a geração de renda.

O Plano de Ação contratado pela SUDENE, que integra o Projeto de Cooperação Internacional em execução com o apoio do PNUD, identificará quais as conexões intersetoriais que a estrutura produtiva local já tem, quais as capacidades de integração com cadeias globais de valor e quais impactos as políticas públicas poderão ter no aumento da competitividade local.

A ideia é elaborar um planejamento conectado à realidade do território, capaz de integrar políticas públicas e agentes públicos e privados. Uma série de estudos será apresentada nos próximos meses. Até o momento, já foram lançados detalhamento metodológico e documento preliminar de estudo de complexidade econômica.

“Muitos estudos já foram feitos sobre essas bacias. Mas nossa proposta agora é ouvir os estados, criar sinergia intergovernamental para termos um documento norteador para os arranjos produtivos que possam se desenvolver na região, envolvendo questões hídricas, de desenvolvimento sustentável e governança”, explica o diretor de Planejamento e Articulação de Políticas da SUDENE, Raimundo Gomes de Matos.

Para a representante residente assistente para Programa do PNUD, Maristela Baioni, a iniciativa representa uma visão de longo prazo importante para a região. “Políticas públicas que levam em consideração a realidade local e, ao mesmo tempo, aproveitam a experiência internacional têm tudo para favorecer um desenvolvimento mais inclusivo e sustentável”, observa.

 

 

 

 

 

Foto – Governo Federal