“BOOM” IMOBILIÁRIO NA BAHIA: NOVOS LANÇAMENTOS CRESCEM 100% EM SALVADOR E VENDAS DISPARAM NO 1º TRIMESTRE DE 2021

"BOOM" IMOBILIÁRIO NA BAHIA: NOVOS LANÇAMENTOS CRESCEM 100% EM SALVADOR E VENDAS DISPARAM NO 1º TRIMESTRE DE 2021

Mesmo com a pandemia, a Bahia está vivendo um verdadeiro “boom” imobiliário e está no seu melhor momento em termos de vendas e lançamentos de imóveis. Na Bahia, o lançamento de imóveis novos no 1º trimestre de 2021 cresceu 41%, e as vendas aumentaram em 31%. O epicentro do “boom” imobiliário está em Salvador, onde foram vendidos cerca de 50% de todos os imóveis comercializados na Bahia no período.

Em Salvador, houve um crescimento de mais de 100% no lançamento de imóveis novos. Para se ter uma ideia da movimentação financeira no setor basta verificar que nos três primeiros meses do ano foram vendidos 1044 imóveis em Salvador, um crescimento de 52% em relação ao mesmo período de 2021. Cerca de 70% desse total foram imóveis de habitação popular enquadrados no “Minha Casa, Minha Vida” (hoje chamado Casa Verde e Amarela), o que significa que o mercado de imóveis de 2 quartos está em ebulição. Mas chama atenção também que mais de 300 imóveis, incluindo imóveis de luxo, tenham sido vendidos na cidade em apenas 3 meses, através de financiamento com a caderneta de poupança, ou SBPE.  O presidente da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-BA), afirma que isso é reflexo da pandemia, que adiou lançamentos.

“Estamos vendo uma demanda reprimida de lançamentos que estavam programados para acontecer no ano passado e que, por conta da pandemia, foram adiados para que as empresas pudessem adaptar seu aparato de trabalho, e isso levou a uma “explosão” de lançamentos nos primeiros três meses deste ano”, disse Cláudio Cunha ao Bahia Econômica e agregou:

“Tivemos um crescimento nesse momento difícil e incerto. Juros baixos, home office, migração de pessoas que estavam morando em outros estados e países e retornaram, imóveis no litoral, demanda reprimida desde a crise de 2014 ao primeiro semestre de 2019 são os principais fatores do crescimento no setor”

Crescendo nesse ritmo, o mercado imobiliário na Bahia pode voltar aos tempos áureos, como em meados da década de 20, quando vendia cerca de 10 mil unidades/ano. O jornalista e economista Armando Avena, diretor do portal Bahia Econômica, atribui o “boom” imobiliário a uma série de fatores como a taxa de juro baixa, a redução do estoque de imóveis à venda, a migração dos investidores de renda-fixa para o mercado imobiliário e até a pandemia que, com o “fique em casa” demonstrou a importância de  uma residência adequada para morar.  Veja aqui.

Os dados foram divulgados no Panorama Econômico 2021, evento online da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI-BA), que aconteceu nesta terça-feira (27).