ALÉM DE ACM E WAGNER, SURGEM NOVOS NOMES QUE PODEM DISPUTAR O GOVERNO DA BAHIA

ALÉM DE ACM E WAGNER, SURGEM NOVOS NOMES QUE PODEM DISPUTAR O GOVERNO DA BAHIA

O ex-governador Jaques Wagner e o ex-prefeito ACM Neto aparecem neste momento como os únicos candidatos ao governo do Estado em condições de disputar a eleição para governador da Bahia em 2022. Mas, frente a ebulição política em que o Brasil está atolado, e no rastro de diversas candidaturas presidenciais que estão sendo gestadas, é provável que haja muitos candidatos e alguns podem se tornar competitivos, a depender, é claro, da força dos presidenciáveis que lhe darão apoio.

Além dos candidatos do PT e do DEM, os líderes do PP e do PSD na Bahia, João Leão e Otto Alencar respectivamente, se colocam como candidatos.  O senador Otto Alencar, que terá sua ação política potencializada na CPI da Pandemia, tem sido citado como potencial candidato ao governo do Estado e a possibilidade reiterada por líderes de seu partido no sentido de ter um candidato próprio à presidência fortalece essa posição.

O mais provável, no entanto, tanto nacionalmente quanto na Bahia é que haja uma composição e por aqui o mais certo é que Alencar possa compor a chapa de Wagner. No caso de João Leão, seu filho Cacá Leão disse nesta segunda-feira, em entrevista à Tribuna da Bahia, que seu pai se coloca como candidato ao governo do Estado. Leão tem uma posição especial na composição das chapas já que,  se o governador Rui Costa evoluir para uma candidatura ao Senado, na qual aparece nas pesquisas como franco favorito, ele teria de se descompatibilizar, o que levaria o vice-governador ao cargo de governador da Bahia. No caso de Leão, o mais provável também é uma composição de modo a que ele, ou alguém indicado pelo seu partido, possa compor uma das chapas que estão postas.

Mas o que mais tem surpreendido os analistas é a possibilidades de novos nomes surgirem na disputa pelo governo estadual, sempre, é claro, potencializado por algum presidenciável. Embora no terreno das especulações, surgem nomes como o do Ministro da Cidadania, João Roma, que, cada vez mais próximo do Presidente Bolsonaro, vem movimentando-se como se candidato fosse e pode ser lançado como candidato e ponta de lança de sua candidatura.

Agora surge também, o nome do ex-prefeito Antônio Imbassahy que poderia se candidatar para formar na Bahia o palanque do governador de São Paulo, João Dória, que, diferente do que deseja os caciques do PSDB, está cada vez mais decidido a sair candidato e, tendo se afastado do ex-prefeito ACM que parece mais próximo do presidenciável Ciro Gomes, necessitaria de um palanque na Bahia, o quarto maior colégio eleitoral do país.

Em resumo: embora Wagner e ACM Neto estejam bem à frente de qualquer outro postulante ao governo, não é impossível que até novembro de 2022 surjam novas candidaturas e algumas delas, a depender do presidenciável que esteja lhe dando apoio, pode tornar-se competitiva.