SINDILOJAS PEDE DESONERAÇÃO DE CUSTO DO EMPREENDEDOR COMO CONTRAPARTIDA A TOQUE DE RECOLHER

SINDILOJAS PEDE DESONERAÇÃO DE CUSTO DO EMPREENDEDOR COMO CONTRAPARTIDA A TOQUE DE RECOLHER

João Paulo Almeida*

O Governo da Bahia anunciou no último domingo a ampliação do toque de recolher em mais de trezentos municípios da Bahia. A medida visa conter a crescente disseminação do coronavirus que cresceu assustadoramente nos últimos 11 dias em Salvador e em todo estado. Bares e restaurantes ainda terão restrições maiores, em algumas localidades vão funcionar até às 16 horas.

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Estado da Bahia, Paulo Mota afirmou que o governo precisa ter mais consistência na hora de tomar essas medidas. Segundo ele não existe uma ideia sanitária vinculada às decisões do poder publico e não existe dialogo referente a medidas que possam desonerar o custo do empreendedor no estado.

“Não existe nenhum projeto em vigor que ajude a desonerar o custo do empreendedor nesse cenário de fechamento de portas pela pandemia. Ano passado foram cinco meses e esse ano tem essa instabilidade de toque de recolher. Os protocolos estão definidos, mas até agora não se sabe o efeito dele. ´Queremos desoneração de impostos e custos para o comércio não fechar”, explicou.

Foto: divulgação