“PARA MIM ELES ESTÃO MORTOS”, DIZ MARCELO ODEBRECHT SOBRE OS PAIS, EM LIVRO COM DENÚNCIAS SOBRE EMÍLIO

"PARA MIM ELES ESTÃO MORTOS", DIZ MARCELO ODEBRECHT SOBRE OS PAIS, EM LIVRO COM DENÚNCIAS SOBRE EMÍLIO

O livro  “A Organização”, da jornalista Malu Gaspar, traz novas revelações sobre a guerra de versões entre Marcelo Odebrecht e de seu pai Emílio Odebrecht na condução da delação premiada da empresa. O livro descreve depoimentos nos quais  Marcelo  acusa o pai de receber R$ 5 milhões em dinheiro vivo todo fim de ano. Esses recursos eram entregues pelo departamento que controlava o caixa dois da empresa e nunca foram declarados aos procuradores que negociaram a delação da Odebrecht.

Marcelo soube dos termos da delação negociada por seu pai, Emílio Odebrecht, quando estava na cadeia e escreveu uma longa carta, endereçada à sua mulher e a dois irmãos, para dizer que o patriarca da família estava mentindo aos procuradores. Segundo Marcelo, o pai se recusava a contar tudo que sabia sobre as relações da Odebrecht com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e outros políticos com quem lidara.

A jornalista aponta pelo menos três executivos que participaram da distribuição de recursos do caixa dois da empresa e aproveitaram para desviar milhões de reais para contas pessoais, sendo o caso mais notório o do ex-diretor jurídico Maurício Ferro, cunhado de Marcelo e que hoje responde a processo na Justiça. Marcelo se considera traído por todos e rompeu com o pai durante o processo e eles não se falam pessoalmente desde o fim de 2016.

Marcelo foi demitido da empresa e a Odebrecht passou a acusá-lo de chantagem e foi à Justiça questionar um pacote de benefícios no valor de R$ 143,5 milhões que lhe foi concedido. Com o dinheiro bloqueado e sem ter como pagar despesas pessoais, Marcelo pediu ajuda a amigos para não ter que recorrer ao pai, que chegou a dirigir um apelo ao filho, segundo Gaspar. “Desça do pedestal e peça a seus pais as necessidades de sobrevivência da família”, escreveu Emílio a Marcelo.  Segundo Gaspar, o empresário não se arrepende de ter rompido com os pais. “Para mim, eles estão mortos”, diz Marcelo. Com informações da Folha de São Paulo.