BAIANOS DESENVOLVEM ROBÔ PARA AUXILIAR CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIOS

BAIANOS DESENVOLVEM ROBÔ PARA AUXILIAR CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIOS

Foi em Feira de Santana, cidade conhecida como Princesa do Sertão, que nasceu Ana, uma robô que recruta estagiários. Batizada de Ana, em homenagem a Feira de Sant’Ana, a startup tem potencial para ressignificar o setor de recursos humanos no Brasil. De acordo com um dos idealizadores do projeto, o estudante de ciências contábeis da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), Helder Xavier, Ana é uma startup de impacto social, que atua com recrutamento e seleção de estagiários, desenvolvendo o papel de agente integrador. “Estamos elaborando uma inteligência artificial que automatiza e digitaliza até 90% dos processos envolvidos na contratação desses estagiários”, explicou. O pesquisador ainda ressalta, que o trabalho busca ir além do recrutamento e oferece capacitação aos usuários. “Através das informações traçadas, ofertamos também cursos preparatórios para a nova economia, voltado aos estudantes da plataforma”, destaca.

Helder explica como funciona o recrutamento digital na prática. “Ana recebe, entrevista e tria milhares de candidatos diariamente através de um chat disponibilizado no site www.anajob.com.br. Ao final da entrevista, ela captura um vídeo currículo, facilitando a vida dos candidatos que não precisam mais entregar currículos físicos, ou participar de diversas entrevistas. Já os recrutadores, através da plataforma podem conhecer melhor o candidato, indo além das limitações de um currículo, e o melhor, sem taxas de seleção”.

O projeto, que nasceu em 2019, em um hackathon desenvolvido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no qual recebeu o prêmio da primeira colocação, é o primeiro agente integrador especialista em varejo 100% digital no país. “Fomos contemplados no programa Centelha da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), que vai conceder R$1,5 milhão para ideias inovadoras criadas no Estado. A aprovação de nossa plataforma aconteceu junto outros 27 projetos que também foram contemplados no Centelha. No nosso caso, somos uma startup de impacto social e temos como propósito a transformação de vidas através da educação e acesso ao primeiro emprego, por isso, é imprescindível que grupos como o nosso recebam apoio do Governo do Estado para levar essas ideias adiante que têm muito a acrescentar na sociedade”, declarou Helder.

Atualmente o projeto se encontra em fase de comercialização e em busca de escala. Ana já possui clientes pagantes e segundo Helder, quer ampliar ainda mais a sua capacidade de atendimento. “É hora de abandonar os guichês, filas, papeladas e entrevistas cansativas”.

O recrutamento digital é aliado de quem quer emprego e de quem quer empregar”, disse ao reiterar que, digitalizando o processo, Ana acelera em até 90% o tempo de contratação de quem está em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho, desburocratizando os processos, eliminando tarefas manuais e reduzindo drasticamente os custos. “Queremos seguir adiante para garantir que Feira siga como destaque no que sabe fazer melhor: gerar oportunidades”, completou.

Foto: Divulgação/ Secti-BA