FUNDO MUBADALA QUE FEZ OFERTA DE COMPRA DA RLAM JÁ CONTROLA EMPRESA NO PÓLO PETROQUÍMICO

FUNDO MUBADALA QUE FEZ OFERTA DE COMPRA DA RLAM JÁ CONTROLA EMPRESA NO PÓLO PETROQUÍMICO

O grupo Mubadala Investment Company que apresentou a melhor proposta de compra da RLAM – Refinaria Landulpho Alves  e está  discutindo com exclusividade os termos do contrato com a Petrobras já tem atuação na Bahia.

O fundo de investimento controla  a  empresa  Deten Química, que fica no Polo Petroquímico de Camaçari. A compra da Rlam é importante para a Deten porque ela é a única produtora no país da matéria-prima usada na sua produção. A Deten produz no Polo o insumo mais utilizado no mundo para produção de insumo biodegradável para o setor de detergentes domésticos e produtos de limpeza industriais e institucionais e registrou  um lucro líquido de quase R$ 100 milhões em 2019.

Falta apenas ajustar os termos do contrato para que o grupo Mubadala, que controla também a  petroquímica espanhola Cepsa,  compre a RLAM, mas se o  contrato mudar significativamente a estatal poderá chamar os concorrentes para uma segunda rodada de lances com base em preço.

A Petrobras pretendia vender a refinaria no segundo semestre de 2020, mas o  negócio está pendente pois o Presidente do Senado, Davi Alcolumbre,  e da Câmara, Rodrigo Maia, recorreram ao Supremo Tribunal Federal, considerando a venda ilegal. Já  a Advocacia-Geral da União (AGU) defendeu em manifestação ao Supremo a legalidade da transação. Veja aqui.

Governo Federal defende junto ao Supremo a legalidade da venda Da Refinaria Landulpho Alves