COLUNA POLÍTICA: OS FLASHES DA PANDEMIA

COLUNA POLÍTICA: OS FLASHES DA PANDEMIA

A pandemia continua sendo o assunto mais importante na imprensa, seja na Bahia, no Brasil ou no mundo. E a cada semana surgem novidades e a luz ilumina um aspecto ou outro do combate ao vírus. Nesta semana é possível destacarna Bahia:

  1. A REABERTURA DA ECONOMIA EM SALVADOR: Foi como se esperava, nem mais, nem menos. Sabia-se que haveria filas e maior movimento nas lojas e nos shoppings nos primeiros dias. Mas no geral os protocolos foram cumpridos e ficou claro que  Salvador estava preparada para a fase 1 da reabertura e já pode se preparar para a fase 2.
  2. NÚMERO DE CASOS E MORTES: O número de casos e mortes em Salvador vem caindo, mas isso não significa que a cidade pode voltar ao normal, pois, como se vê na Europa, mesmo quando controlado o vírus ressurge. O prefeito ACM Neto mantém a cautela e não está dando destaque na redução de casos e mortes que vem ocorrendo na cidade, talvez com a preocupação de que os números possam piorar com a reabertura.
  3. A TAXA DE OCUPAÇÃO DAS UTI: A taxa de ocupação das UTI ainda está alta em Salvador por um motivo simples: mais de 50% dos leitos ocupados são de pacientes vindos do interior. Isso é o que afirma fonte da secretaria municipal de Saúde.
  4. ESTATÍSTICAS DA PREFEITURA: O acompanhamento estatístico e a divulgação das curvas de casos e mortes pela Covid-19 pela secretaria municipal de Saúde está deixando a desejar: não se divulga o número diário de mortes, nem o número de casos. Divulgação do número acumulado não serve para acompanhar a evolução da pandemia.
  5. ESTATISTICAS DO GOVERNO DO ESTADO: O acompanhamento estatístico e a divulgação das curvas de casos e mortes pela Covid-19 pelo Governo do Estado está deixando a desejar: a secretaria está incluído casos e mortes acumulados em dias anteriores e não contabilizados, nas estatísticas diárias e isso impede a análise correta da evolução das curvas.
  6. NÚMERO DE TESTES: Registre-se aqui o anúncio de que a Bahia pode ampliar para 4 mil o número de testes por dia. É uma boa notícia, afinal, por mais que o secretário estadual de Saúde afirme que a Bahia é um dos estados do país que mais aplicam testes, por enquanto isso é um meia verdade. Ou seja, em número absolutos, a Bahia é o 5º estado do país que mais aplica testes, cerca de 300 mil até 15/07, mas quando se divide isso pela população o Estado cai para um desconfortável 17º lugar e torna-se um dos que menos aplicam testes.
  7. KIT COVID-19: Está se disseminando no interior do Estado a distribuição de remédios como Cloroquina e Ivermectina, sem qualquer garantia médica de que esses medicamentos tem efeito sobre a doença. O populismo dos prefeito pode ter efeito médico nulo ou piorar o estado de saúde das pessoas e pode ter efeito eleitoral desastroso. (EP- 27/07/2020)