COTADO PARA SER SUBSTITUTO DE WEINTRAUB É ACUSADO DE PARTICIPAR DE ESQUEMA MILIONÁRIO

COTADO PARA SER SUBSTITUTO DE WEINTRAUB  É ACUSADO DE PARTICIPAR DE ESQUEMA MILIONÁRIO

O secretário de Educação do Estado do Paraná, Renato Feder, está sendo sondado pela equipe do Governo federal para assumir a gestão do Ministério da Educação. Existe uma expectativa de que o anúncio da nomeação seja feito ainda nesta terça-feira, 23. De acordo com o G1,  o nome do secretário está sendo apurado pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que verifica a ficha dos candidatos para ingressar no governo.

Nesta última semana, o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) anunciou a saída do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub da pasta. Weintraub está sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após fala que ofensivas à Corte, e também, por declarações de supostos racismo contra a China.

Um dos cotados para substituir Abraham Weintraub no Ministério da Educação (MEC) é o atual secretário da Educação do Paraná, Renato Feder. O empresário, que se reunirá com o presidente Jair Bolsonaro hoje (23), foi denunciado por sonegação fiscal e responde a processo milionário na Justiça de São Paulo, que corre em sigilo. A informação é do portal Metrópoles.

Esquema: Em 2016, Feder e o sócio, Alexandre Ostrowiecki, administradores da empresa de informática Multilaser Industrial S.A., foram denunciados pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Coordenadoria de Combate à Sonegação Fiscal (Coesf), por fraude de R$ 3,2 milhões em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Feder foi indicado ao cargo de ministro da Educação pelo governador do Paraná Ratinho Júnior (PSD). Ele também já defendeu a extinção da pasta e a privatização da rede de ensino no Brasil. As ideias foram publicadas no livro ‘Carregando o Elefante – Como transformar o Brasil no país mais rico do mundo’, de 2007.

Foto: divulgação