PREFEITURA DISCUTE PLANO TURÍSTICO DA PENÍNSULA DE ITAPAGIPE

PREFEITURA DISCUTE PLANO TURÍSTICO DA PENÍNSULA DE ITAPAGIPE

A Prefeitura de Salvador, através da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), iniciou nesta quarta-feira (3), a primeira de uma série de reuniões para a elaboração do Plano Itapagipe, projeto que pretende ativar o desenvolvimento do turismo e da economia do território, que é formado por 14 bairros. A ideia do Plano Itapagipe surgiu após o impacto da canonização de Irmã Dulce, a primeira santa brasileira, que vinha impulsionando a peregrinação religiosa aos santuários da região.

A reunião foi feita de forma virtual com a participação da comunidade moradora dos bairros, como lideranças, associações, empresários e microempresários. No encontro, foi feito um diagnóstico apontando potencialidades e problemas para o desenvolvimento da península, localizada na região da Cidade Baixa.

Com base nos comentários dos moradores, a fundação produziu um documento levantando a estrutura existente entre os bairros, como potencial para a criação de marinas para esportes aquáticos, parques de preservação marinha, hotéis, demais atrativos turísticos, impulsionamento da economia criativa, e também debilidades como a falta de infraestrutura de bairros pobres da região.

A próxima reunião já será a fase de apresentação de propostas em cima deste diagnóstico feito sobre o que há de disponível na península, onde foram considerados os bairros de Alagados, Boa Viagem, Bonfim, Calçada, Caminho de Areia, Jardim Cruzeiro, Mangueira, Mares, Massaranduba, Mont Serrat, Ribeira, Roma, Santa Luzia e Uruguai. De acordo com a fundação, serão pelo menos mais dois meses de produção deste plano.

Hotel para romeiros está nos planos da Irmandade do Senhor do Bonfim

Toda semana, pelo menos seis ou sete caravanas visitam a Colina Sagrada, no bairro do Bonfim. Durante a Lavagem do Bonfim, o número quadruplica. A peregrinação aos templos religiosos ganhou ainda mais força na capital baiana após a canonização da Santa Dulce, no final do ano passado. Para dar conta desse público romeiro que visita a região do entorno da Colina, membros da Irmandade do Senhor do Bonfim criaram um projeto de construção de um hotel. Com 62 quartos, o empreendimento terá vista privilegiada: de um lado, a Basílica do Bonfim; do outro, a Baía de Todos-os-Santos.

De acordo com Francisco José Pitanga, juiz da devoção, a demanda pelo hotel é antiga. Ônibus vindos sobretudo do Norte e todo o Nordeste visitam o Santuário do Bonfim todos os anos. Os romeiros vêm em direção ao santuário de Aparecida do Norte, no interior de São Paulo, e passam por Salvador, onde ficam entre um e dois dias. Na região, a maior parte das hospedarias são motéis, aponta ele.

“Não é uma boa opção para pessoas de idade e que viajam em família. Sempre nos perguntavam sobre um hotel próximo que pudesse comportá-los e não tínhamos. Nosso propósito é colocar um equipamento digno e confortável para as pessoas que visitam os santuários”, explica Pitanga.

O hotel está previsto para ser construído num terreno pertencente à irmandade, localizado ao lado do Hospital Sagrada Família, no Monte Serrat, área tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Chamado de Hotel Colina Sagrada, o empreendimento vem sendo pensado para um público idoso e de meia idade, com acessibilidade para cadeirantes.

 

 

Foto: divulgação