COMERCIO VAREJISTA BAIANO TEM CRESCIMENTO DE 2,1% EM 2019

COMERCIO VAREJISTA BAIANO TEM CRESCIMENTO DE 2,1% EM 2019

As vendas no comércio varejista baiano em 2019 cresceram 2,1% em comparação a 2018, de acordo com a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – realizada em âmbito nacional – e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan). O crescimento de 7,4% em dezembro de 2019, na comparação com igual mês do ano anterior, contribuiu para o resultado positivo.

“Essa taxa do acumulado do ano foi a maior dos últimos quatro anos consecutivos e supera a média nacional, que registrou a expansão no volume de negócios de apenas 1,8%. O avanço de dezembro também foi bem superior ao nacional, que foi de 2,6%. Este desempenho do varejo baiano está relacionado ao aumento da empregabilidade, uma vez que a Bahia liderou a geração de empregos formais no Nordeste em 2019, com 30.858 novos postos de trabalho, através de políticas públicas que vêm dinamizando vários setores econômicos”, avaliou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro. Na análise sazonal, o comércio varejista no estado baiano foi positivo em 1,3%.

Por atividade, os dados do comércio varejista do estado baiano em dezembro de 2019, quando comparados aos de dezembro de 2018, revelam que cinco dos oito segmentos que compõem o indicador do volume de vendas registraram comportamento positivo. Listados pelo grau de magnitude das taxas em ordem decrescente, destacaram-se Móveis e eletrodomésticos (50,8%), Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (17,3%), Tecidos, vestuário e calçados (8,5%), Combustíveis e lubrificantes (7,2%), e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,1%). A mais importante influência positiva em dezembro veio do segmento Móveis e eletrodomésticos seguido por Tecidos, vestuário e calçados, Outros artigos de uso pessoal e doméstico, e Combustíveis e lubrificantes.

Nos demais segmentos, as variações negativas foram: Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,8%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-3,4%), e Livros, jornais, revistas e papelaria (-29,1%). No que diz respeito aos subgrupos, verifica-se que registraram variações positivas Eletrodomésticos, e Móveis 65,7%, e 20,3% respectivamente, e Hipermercados e supermercados negativa de 1,4%.

Comparativo do comércio varejista ampliado

O comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e mais as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção apresentou crescimento nas vendas de 8,0%, em relação à igual mês do ano anterior, também influenciado pelo efeito base. No acumulado dos últimos 12 meses, a variação ficou em 1,8%.

 

 

 

 

 

Foto: Carol Garcia / Gov Ba