SALVADOR BATE A MARCA DE 1 MILHÃO DE VEÍCULOS NAS RUAS

SALVADOR BATE A MARCA DE 1 MILHÃO DE VEÍCULOS NAS RUAS

Todos dos dias quando sai de casa para trabalhar, o músico Orlando Flores, 36 anos, usa um aplicativo para decidir qual caminho pegar para chegar ao destino. Ele mora no Garcia e trabalha na Liberdade. São três rotas possíveis, e as três sempre estão congestionadas. Não é por acaso. Em julho, Salvador atingiu a marca de mais de 1 milhão de veículos nas ruas. Mais exatamente: 1.004.034.

Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA), são mais de 665 mil carros e 142 mil motocicletas que trafegam pelas ruas e avenidas da capital. Caminhonetas somam 118 mil, além de 22 mil caminhões. A cada mês 1,9 mil novos veículos são cadastrados – a média é de 1 para cada 3 soteropolitanos. Em todo o estado são 4,4 milhões de veículos.

Em alguns pontos da cidade, nem precisa mais de horário de pico para engarrafar. Qualquer hora é hora. E que por mais que se façam intervenções para melhorar o trânsito, o volume de veículos circulando não para de crescer. Orlando percebeu isso no trajeto que faz todos os dias e acredita que a rotina do município também corrobora com o congestionamento.

“No Garcia, onde eu moro, tem três escolas e, no horário em que os estudantes estão chegando ou saindo, fica impossível trafegar porque não há organização no trânsito. Já tentei deixar o carro em casa para economizar gasolina e usar serviços como táxi e uber, mas os motoristas não conseguem chegar. Fica tudo travado. Além disso, tem as obras que a gente encontra pelo caminho”, afirmou.

Segundo a Transalvador, os pontos mais caóticos da cidade são as ruas Cardeal da Silva (Federação) e D. João VI (Brotas), a Avenida Tancredo Neves e a Ligação Iguatemi – Paralela (LIP), no sentido Rodoviária. Para o superintendente da pasta, Fabrizzio Muller, o comportamento de alguns motoristas colabora para os engarrafamentos.