ANTÔNIO BRITO AGUARDA ORIENTAÇÃO DE OTTO SOBRE JEQUIÉ

ANTÔNIO BRITO AGUARDA ORIENTAÇÃO DE OTTO SOBRE JEQUIÉ

O deputado federal Antônio Brito (PSD) está dividido entre se lançar candidato em Salvador ou em Jequié, comandada pelo atual prefeito Sérgio Gameleira (PSB). Informações obtidas pela Tribuna nos bastidores, no entanto, levam a crer que o parlamentar irá apoiar um nome no município do interior da Bahia e entrar na briga para encabeçar uma chapa na capital. “Deixei para 2020. Meu domicílio eleitoral ainda está em Jequié, mas é evidente que nasci em Salvador… Tenho ido a Jequié, fui esse final de semana e vou todos os finais de semana. Jequié é a oitava cidade do interior da Bahia, é uma cidade muito importante. E o PSD terá candidato, com a orientação do senador Otto Alencar. Na construção do partido já está se debatendo programas de governo. Quanto a Salvador, a Deus pertence”, declarou Brito.

Uma das opções em Jequié é o nome da primeira-dama do Estado, Aline Peixoto, que desponta como uma figura importante para o pleito municipal de 2020, em Jequié (BA). Natural da cidade, a mulher do governador Rui Costa (PT) tem atuado com força na região e, se legalmente não puder ser candidata, certamente será forte cabo eleitoral no pleito. O senador Otto Alencar, presidente estadual do PSD, por exemplo, é um dos que reconhecem nos bastidores a força dela na cidade.

Brito destaca o que ele chama de “excepcional trabalho” que ela tem feito na cidade. “Quero elogiar a primeira-dama. Ela tem feito um excepcional trabalho por Jequié. O governador Rui Costa tem trabalhado muito por Jequié, pela área de saúde”, ressalta Brito. “Jequié teve a grande graça de ter a primeira-dama. Se ela puder legalmente ser candidata, é um grande nome e eu seguramente apoiaria”. O baiano também afirma que não apoiará o nome de Leur Lomanto Júnior (DEM) caso o parlamentar decida mesmo concorrer na região. “Sou do campo político do governador Rui Costa e, portanto, isso me impediria de apoiar o nome do Leur Lomanto”.

Antônio Brito visitou a Câmara Municipal de Salvador nesta semana para tratar do translado dos restos mortais de Thomé de Sousa de Portugal para o Brasil. “Vim passar para o presidente Geraldo Júnior sobre a reunião que tive com o ministro Ernesto Araújo. Toda a nossa demanda já está no departamento da Europa do Ministério das Relações Exteriores. Há disponibilidade  do ministro em agilizar todo o processo que está sendo tratado em Portugal”, explica o deputado federal. “A demanda já tinha chegado a ele, mas é preciso que o Ministério das Relações Exteriores passe a atuar com mais agilidade. Já tive a informação de que ele não é considerado herói nacional em Portugal”.