DEMANDA POR INVESTIMENTO CRESCE, MAS EMPRESÁRIOS INDECISOS E OS QUE NÃO VÃO INVESTIR AINDA É MAIORIA

DEMANDA POR INVESTIMENTO CRESCE, MAS EMPRESÁRIOS INDECISOS E OS QUE NÃO VÃO INVESTIR AINDA É MAIORIA

O Indicador de Demanda por Investimento do micro e pequeno empresário melhorou na comparação mensal, apesar de a maioria não pensar em investir, aponta a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), divulgado hoje (11). Em junho, ele marcou 48,3 pontos, ante 46,6 pontos em maio. O índice varia de zero a 100, sendo que quanto mais próximo a 100, maior é demanda do empresário ao investimento.

A melhora do indicador fez com que a parcela de empresários que pretendem investir alcançasse os que não devem realizar melhorias em seus negócios: 37% em ambos os casos. Os indecisos somam 25% da amostra.

Dentre os empresários que não pretendem investir, a maioria justifica dizendo que não vê necessidade (45%) ou relata a percepção de que o país ainda não saiu da crise (31%). Há ainda 24% de entrevistados que já investiram recentemente e aguardam retorno.

Já entre os micro e pequenos empresários que pretendem realizar investimentos nos próximos três meses, a maior parte tem como finalidade aumentar as vendas (58%), além da adaptação da empresa a uma nova tecnologia (30%) e da necessidade de atender a uma demanda que aumentou (25%). Para isso, os destinos dos investimentos mais citados são a compra de máquinas e equipamentos (30%), ampliação dos estoques (22%), reforma da empresa (19%) e divulgação em mídia e propaganda (16%). A origem dos investimentos será, para a maioria, o capital próprio, seja por meio de recursos guardados (45%) ou venda de bem (7%).