ISAAC EDINGTON – SALTUR – EMPRESA DE TURISMO S/A

ISAAC EDINGTON - SALTUR - EMPRESA DE TURISMO S/A

BE – Nos últimos anos os blocos de rua no carnaval de Salvador tem perdido espaço para os grandes camarotes instalados no circuito e fora dele. Em 2019 existe alguma novidade de atração para o folião voltar às ruas durante o carnaval?

IE- Nesse aspecto é preciso analisar alguns pontos importantes. Temos um produto grande que é o carnaval e ele passa por momentos e movimentos de sazonalidade. Nós últimos anos os blocos de carnaval tem perdido especo para os camarotes, mas em 2019 as coisas já vão ser diferentes. Esse é um movimento sazonal onde uma hora o folião opta pelo camarote, outra ele opta pelo circuito. A prefeitura tem tido muitas reuniões com os organizadores do carnaval e o que eu tenho ouvido é que em 2019 já não vai existir uma diferença tão grande entre camarotes e blocos. Essa é uma movimentação complexa que cabe aos organizadores trabalharem. Os blocos viram a necessidade de ficarem mais atrativos em termos de preços e condições para o folião. Nós acreditamos que o produto carnaval não perde com essa questão. É só um movimento momentâneo do folião.

BE-  A ordem dos desfiles dos blocos de carnaval também gera muito debate interno entre os artistas e na imprensa. Qual o critério a saltur utiliza para liberação dos blocos no carnaval?

IE- Essa questão é delimitada por um acordo que existe entre a prefeitura, os blocos de carnaval e as instituições de que organizam o carnaval formada pelos empresários. O Ministério Público também atua. O Critério principal é a antiguidade. Essa não é uma questão problemática no carnaval. Tudo é resolvido em reuniões onde se segue o que está no acordo. A prefeitura também auxilia colocando atrações naqueles dias onde o circuito não apresenta uma grande quantidade de trios. Assim, o folião que vem para cá não fica nenhum dia sem uma grande atração. Os próprios blocos de carnaval também se organiza para que não haja conflitos ou concentrações de foliões em dispersão em outras áreas. É uma questão tranquila.

BE- Qual a expectativa de movimentação financeira no carnaval de salvador?

IE- O carnaval em si faz parte de um grande contexto do verão na capital. Ele é um dos produtos que ajuda a movimentação financeira na estação do ano. Ano passado nós conseguimos movimentar em média R$ 1,87 Bilhões. Esse ano a expectativa é superar os 2 Bilhões de reais em movimentação financeira no verão. São mais de 50 pontos da economia que se beneficiam com a estação do ano. Bares, restaurantes, hotelaria, serviços tudo acaba ampliando sua movimentação durante a estação e isso é importante para economia da capital

BE – O trade turístico tem reclamado muito que o preço das diárias de Salvador para hospedagem não sofrem reajuste a cinco anos. Nesse período de carnaval os hotéis, principalmente no circuito lotam e muitas vezes não cobrem as despesas.  Como o senhor analisa essa situação?

IE-  A prefeitura tem feito um trabalho extenso de divulgação da cidade e o turista tem vindo para capital. A questão da diária é uma coisa de mercado. Quando se aumenta o valor acaba que o turista acaba não ficando, então é uma questão de mercado que os hotéis precisam sentar para resolver. A prefeitura tem feito seu papel indo a reuniões e apresentando salvador pelo Brasil todo inclusive fora do país, então o turista vem procurando aquilo que for melhor para ele e a diária é um dos pontos que eles levam em conta na hora de se hospedar.

BE – Existem rumores da criação de um novo circuito na região onde acontece o réveillon de salvador. Existe a possibilidade desse novo circuito para o carnaval?

IE – existe uma proposta da iniciativa privada de se fazer um carnaval ali na área do antigo aeroclube no mês de outubro na semana do feriadão do dia 12. O objetivo é atrair o turista para capital naqueles cinco seis dias que tem dois feriados juntos com uma grande festa ali. Essa proposta é exclusivamente da iniciativa privada, porém a prefeitura sabendo da iniciativa já abraçou a causa e se disponibilizou a ajudar em todos os aspectos.  Inclusive com a montagem da infraestrutura completa no local. Mas como eu disse precisa a iniciativa privada tirar a ideia do papel para que as coisas aconteçam. Em relação ao carnaval não existe nenhuma movimentação para criação de um novo circuito ali no aeroclube. O carnaval vai continuar no centro e na barra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.