RECURSOS PARA PUBLICIDADE EM DETRIMENTO DOS INTERESSES POPULARES, DIZ HILTON COELHO SOBRE LOA

RECURSOS PARA PUBLICIDADE EM DETRIMENTO DOS INTERESSES POPULARES, DIZ HILTON COELHO SOBRE LOA

O vereador Hilton Coelho (PSOL) criticou a Lei Orçamentária Anual (LOA) de Salvador para 2019. “Mais uma vez o prefeito ACM Neto (DEM) exclui a participação da população na elaboração da LOA 2019, bem como na elaboração nas demais peças orçamentárias, negando o direito à elaboração de um Orçamento Participativo. O que prevalece são os interesses do Poder Executivo e do que ele representa e não os interesses populares”.

Ele lembra que mais uma vez o Poder Legislativo foi alijado do processo. “Pouquíssimas emendas apresentadas pelos vereadores, Comissões e sociedade civil sequer passam pela Comissão de Orçamento e Finanças para que se tenha o direito de debate no plenário da Câmara. Para piorar, os argumentos para desaprovação das emendas na Comissão não são técnicos e sim genéricos”

Hilton Coelho critica a falta de prioridade para recursos destinados aos setores populares. “A LOA 2019 assegura investimento de mais de R$ 61 milhões em publicidade e propaganda, representando um aumento de mais de R$ 11 milhões em relação a 2018. Tal aumento vai na contramão das recomendações do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) para que o município reduza esses gastos. Para piorar, houve uma redução de R$ 25 milhões de investimentos na SEMPS (Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza) e acréscimo de 17 milhões na Comunicação. Isto merece o repúdio da sociedade”.

O legislador classifica como “uma humilhação do Legislativo a inclusão na LOA 2019 de investimento de R$ 10 milhões para o Projeto Pé na Escola, sem o mesmo ter sido aprovado na Câmara MUnicipal. A mesma verba daria para construir sete novos Centros Municipais de Educação Infantil (CEMEIs), o que representaria o dobro de unidades a serem construídas propostas na LOA 2019”.

Recursos para a Falconi Educação são classificadas como exorbitantes por Hilton Coelho. “Há um aumento exorbitante dos investimentos em ‘Sistemática de Avaliação Interna e Externa’ na Educação, de R$ 2.275.000,00 na LOA 2018 para 28.290.000,00 na LOA 2019, representando um aumento de 1244%. Em contrapartida, há redução dos recursos para controle de antropozoonoses, doenças que podem ser transmitidas de animais para humanos, em 46%. Estavam previstos os gastos de R$ 7.740.000,00 para 2018, enquanto são previstos R$ 4,2 milhões para 2019”.

A questão relacionada a saúde pública recebe críticas de Hilton Coelho. “Há uma vergonhosa redução dos investimentos em ações de controle de vigilância epidemiológica, que visa a análise e prevenção de doenças, em 80%, passando dos R$ 3.615.000 em 2018 para meros R$ 700 mil em 2019.. Os investimentos em ações de controle das doenças sexualmente transmissíveis (DST), incluindo a AIDS, reduziu-se em R$ 800 mil, o que significou redução de quase 30% dos recursos alocados, indo na contramão dos alertas feitos pelo Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS), com o aumento de casos de DST e HIV no Brasil. Há também uma queda de R$ 30 mil para a rubrica de ações de imunização, ou seja, vacinação da população, em relação ao ano de 2018”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.