INFECÇÃO MISTERIOSA DE PATAMARES É REGISTRADA EM OUTROS BAIRROS DE SSA

INFECÇÃO MISTERIOSA DE PATAMARES É REGISTRADA EM OUTROS BAIRROS DE SSA

Num condomínio em  Patamares, em Salvador, moradores vêm se queixando de uma série de sintomas de uma doença misteriosa, que causamanchas vermelhas pelo corpo, principalmente braços e pernas, e muita coceira. Pelo menos 32 pessoas, todas do conjunto habitacional, que tem 18 torres e reúne 1.622 apartamentos e uma área verde de 305 mil m² relataram transtornos do gênero.

As informações são Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que investiga os casos ao lado do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), de equipes da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na Bahia, além do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e citadas pelo Correio.

De acordo com a publicação, a coordenadora do Cievs, Cristiane Cardozo, considera que a principal suspeita é que os sintomas da coceira misteriosa sejam causados por picadas de algum inseto ainda não identificado. “São características de picadas de insetos. Nós já descartamos a hipótese de arbovírus, a exemplo de zika e chikungunya”, explicou.

Equipes dos órgãos de saúde estão frequentemente no condomínio e já conversaram com os moradores.

“Eles relatam que sentem um ardor rápido, o que chamam de pinicada, e depois as manchas aparecem e a coceira tem início. Mas, ninguém consegue ver o inseto, o que nos leva a pensar que seja alguma coisa muito pequena”, considera Cardozo.

Intrigadas com o que poderia estar motivando dos transtornos, as pessoas atingidas estão utilizando apenas pomadas, cremes e hidratantes para aliviar a coceira.

As investigações em torno do agente que possa estar causando os sintomas dermatológicos prosseguem. A coordenadora do Cievs destacou que tanto o CCZ quanto a Fiocruz já instalaram armadilhas no entorno do condomínio para tentar identificar o inseto ou outra coisa que possa estar causando os sintomas nos moradores.

“É possível que o número de casos aumente. Estamos em 32, por enquanto, e sabemos que o primeiro caso, que não entra nessa conta atual, aconteceu em agosto”, contou Cristiane ao CORREIO.

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), informou que 6 dos 32 afetados pelo problema estão sob seus cuidados. Além deles, há sinal de outras 11 pessoas com os mesmos sintomas em bairros distintos de Salvador. A Sesab não informou os bairros de Salvador, nos quais a infecção foi registrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.