BOLSONARO OMITIU BENS DA JUSTIÇA ELEITORAL E ROUBOU COFRE DE EX, DIZ REVISTA

BOLSONARO OMITIU BENS DA JUSTIÇA ELEITORAL E ROUBOU COFRE DE EX, DIZ REVISTA

A ex-mulher do candidato à presidência Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle, virou alvo de reportagens na última semana após acusações que ela fez contra o presidenciável em 2011. Agora, outras acusações da ex-mulher ao político surgiram com uma reportagem publicada pela revista Veja. A reportagem teve acesso aos documentos do processo de separação do ex-casal, no qual, segundo a revista, aparecem informações de interesse público, como a ocultação de bens de Bolsonaro à Justiça Eleitoral em 2006.

Quando foi candidato a deputado federal, Bolsonaro teria declarado ao TSE apenas que um terreno, uma sala comercial, três carros e duas aplicações financeiras, que, juntos somavam, na época, R$433.934. No entanto, a ex-mulher do político anexou ao processo uma relação de bens do imposto de renda, mostrando que ele também possuía três casas, um apartamento, uma sala comercial e cinco lotes. Os bens do casal, em valores de hoje, somariam cerca de R$ 7,8 milhões.

Além disso, no processo, a ex-mulher alega que Bolsonaro tinha uma vida financeira próspera, e que a renda mensal dele como deputado chegava a R$ 100 mil. Oficialmente, o político recebia R$ 26.700 pelo mandato, e R$ 8.600 por ser militar da reserva. Para ter os R$ 100 mil de renda mensal, ele tinha outros proventos, que não são especificados por Ana Cristina. Ana Cristina também acusa o ex-marido de ter furtado seu cofre em uma agência do Banco do Brasil, em outubro de 2007, que tinham joias avaliadas em R$ 600 mil, 30 mil dólares e R$ 200 mil. Os valores atualizados somam cerca de R$ 1,6 milhão.

Por fim, a reportagem diz que, no processo, Ana Cristina acusa Bolsonaro de ter um  “comportamento explosivo” e de “desmedida agressividade”, o que a levou a se separar. O casal se separou em 2008, depois de 10 anos juntos. De acordo com a revista Veja, “os dois voltaram a se entender e selaram um armistício que dura até hoje”. Apesar das acusações, atualmente a ex-mulher diz que as acusações presentes no processão são “fruto de excessos retóricos”. No entanto, a reportagem da Veja mostra que as acusações são verdadeiras, como o roubo do cofre na agência do Banco do Brasil. No entanto, a investigação não foi pra frente. A revista questionou a ex-mulher sobre a desistência da investigação do roubo. “Nós dois tínhamos um acordo de abrir mão de qualquer apuração porque não seria bom”, disse à revista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.