PREFEITURA REQUALIFICA LAGOA DOS PÁSSAROS

PREFEITURA REQUALIFICA LAGOA DOS PÁSSAROS

 

Na manhã da próxima quinta-feira (12), o prefeito ACM Neto irá assinar a ordem de serviço que vai permitir o início da requalificação da Lagoa dos Pássaros, localizada na Rua Solimões, perto da escola Pingo de Gente, no Stiep. A área integra um antigo ecossistema de dunas existente no entorno, e a intervenção no local atende a uma demanda antiga dos moradores da região.

Com investimento de R$ 824.535,34, as obras serão concluídas no prazo de 120 dias. A intervenção ficará a cargo da empresa Metro Engenharia, sob supervisão da Superintendência de Obras Públicas do Salvador (Sucop), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra).

1 comentário


  1. Minha opinião:

    A estranheza já começou por não ter Rua Solimões como entrada para nenhumas das duas lagoas do bairro do Stiep conforme muitos anunciaram. Alguns não precisam da Copa para deixarem de trabalhar. Hoje teve um monte que abandonou suas tarefas na Prefeitura apenas para ir ouvir o Prefeito falar sobre as futuras obras na Lagoa dos Pássaros, bairro do Stiep. O Prefeito resolveu falar tanto da lagoa quanto sobre o BRT. Mostrou ser uma pessoa que não é extremamente insensível como muitos pensam. Talvez esteja apenas precisando quem lhe ensine minuciosamente sobre Biologia, rios, entre outros temas. Melhor que não seja Professor(a) de escola municipal, pois para a TV ele aproveitou para anunciar que, mais uma vez, pretende é cortar salários de quem paralise, ao invés de deixar os professores mais felizes. Vale informar que impulsonei para duas repórteres registrarem um pouco do conhecimento e indagações da Dona Lilith da Ong Gambá, e irá passar na TV Aratu. Eu talvez não devesse dar pitaco sobre a Lagoa dos Pássaros, pois preferi não me desgatar indo nas reuniões que houveram no bairro do Stiep para tratarem das obras da lagoa. Espero que entendam que uma das razões foi a decepção com alguns dos presentes e a desconfiança com a fundação responsável pelo projeto. Durante o evento Salvador 500, no hotel em frente da FIEB, quando ainda era chamado de Matiz, a representante da fundaçåo insistiu em me responder, no microfone, que não houveram danos ambientais nas recentes obras realizadas na Praia de Armação. Aumentou a decepção ao saber que o Prefeito doou parte de uma área, de uma região que já vem ficando cada vez menor após a construção de casas e edifícios, para o Sindpetro contruir sua nova sede, comércios, residências, ou o que preferir. Ainda decepcionado com a atual gestão, com a omissão do Combate às Zoonoses do Distrito Sanitário da Boca do Rio, e com a conduta de alguns moradores, continuo aqui escrevendo e ajudando para lhes alertar que, antes de mais nada, as duas lagoas precisam de constante limpeza. Visitei hoje a mata ao redor, da Lagoa dos Pássaros, e vi que continua tendo muitos riscos de disseminar doenças por haverem pneus, galões de tinta e até sofás velhos. Quase 800 mil reais para um local que ainda não tem previsão para a presença da Guarda Municipal (o Prefeito só fez incentivar os moradores para cobrarem que tenham PMs), é muito dinheiro para aonde ainda existem algumas dúvidas entre moradores por causa de alguns erros, como a da iluminação que poderá afetar a vida de aves e de outros animais, podendo afugentá-los, fazendo com que então a sugestão que a moradora, que alguém a definiu como nossa representante, falou ao microfone, de criar um Museu dos pássaros, realmente passe a ser uma idéia coerente! Afastamos o resto de aves com a iluminação e criamos um museu? E, que durante e após as obras, que as cobras não passem a entrar nas residências! Por fim, não houveram mesmo danos na orla, Salvador 500?

    Opinião de Jaelson Castro –

    O “x” da questão é exatamente quando o prefeito diz: “realmente havia um projeto antigo…”. Esse projeto antigo enfatizava manter a área o mais silvestre possível, manejar para este fim. Equipamentos urbanos e iluminação sempre foram combatidas pela “comunidade” (umas 20 pessoas). Lá pelo final da década de 1990,conseguimos barrar um projeto do arquiteto Neri Antunes, apresentado na comunidade com o apoio do MPE, na época estava à frente o promotor de justiça Luciano Santana. O projeto não foi aceito justamente pelo fato de envolver urbanização, cimento ao redor da lagoa, necessitando derrubar uma bela e interessante aglomeração de árvores que fica do lado do Jardim Atalaia. Este projeto vai contra o que sempre pensamos para a área,e mais, a metade desse valor, 825 mil, daria para fazer da área um excelente espaço do ponto de vista ecológico. A matéria a seguir deixa explícito isso:

    http://www.bahiaja.com.br/salvador/noticia/2015/02/09/urbanizacao-ameaca-lagoa-dos-passaros-no-stiep-por-hendrik-aquino,79236,0.html

    Em passado recente, os moradores ativistas eram completamente contrários à urbanização do Vale dos Pássaros, onde está inserida a lagoa de mesmo nome. A opinião de todos era que a área deveria ser manejada, com a ratirada das muitas toneladas de lixo e entulhos, retirada de todas as emissões pluviais e esgotais que caem no Vale, na lagoa, eliminação de plantas exóticas agressivas/invasores e plantio de mudas de plantas nativas. Seria
    construida uma trilha ecologica, esta ligaria as extremidades do Vale, bancos ao redor dessa trilha, enfim, que a área seria silvestre, onde teriamos uma bela florestinha, um lindo bosque e uma lagoa limpa. Não se cojitava nenhum equipamento urbano, muito menos iluminação, o ambiente era imaginado para os animais, principalmente para estes, e claro, para as pessoas,para contemplação da Natureza, observação das aves. Com 825 mil deixaríamos este ambiente o mais silvestre possível, mas…. Lamentável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.