SMS DIZ QUE NÃO HOUVE DESCREDENCIAMENTO DE EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA

SMS DIZ QUE NÃO HOUVE DESCREDENCIAMENTO DE EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) enviou nota ao Bahia Econômica, segunda a qual afirma não haver descredenciamento de equipes de saúde da família no município. “Pelo contrário, nos últimos seis anos Salvador foi a capital que mais avançou na implementação do setor no país”, relata o documento.

A nota veio em resposta à notícia veiculada em blogs da Internet segundo a qual os municípios de Salvador e Feira de Santana estariam perdendo R$ 15,5 milhões anuais em recursos da saúde, por supostamente não implantarem Equipes de Saúde da Família (ESFs).

De acordo com as publicações, pelo menos 61 equipes de saúde da família foram descredenciadas em Salvador, o que gerariam uma redução da ordem de R$ 7,8 milhões em recursos federais investidos em saúde na capital baiana.

De acordo com a SMS, a situação é decorrente de que, em 2002, o Ministério da Saúde (MS) havia credenciado 300 ESFs para Salvador. Porém, em 2012, – dez anos depois – o município apresentava apenas 104 equipes. “Em janeiro de 2013, quando o Prefeito ACM Neto assumiu a gestão municipal, Salvador ocupava o último lugar em cobertura de atenção básica entre as capitais brasileiras. Hoje, é destaque nacional por ser a cidade que mais expandiu o indicador. Esse crescimento foi possível graças à reorganização da rede através da requalificação das unidades e convocação de 3.800 novos profissionais”, prossegue a SMS.

A partir desses investimentos foram implantadas 151 novas equipes de saúde da família nos últimos 6 anos, que passou de 104 (2012) para 255 (2018). “A expectativa da gestão é que até o final deste ano mais 54 equipes sejam implantadas, totalizando 309 Equipes de Saúde da Família, nove a mais que o pactuado com o Ministério da Saúde em 2002”, diz a nota. “Em 2019, está prevista a implantação de outras 49 ESF. Ou seja, no próximo ano a expectativa é de que Salvador conte com 358 ESF consistidas”, prossegue o documento. A resposta da Prefeitura de Salvador, através da SMS, vem como resposta à divulgação de portaria 1.717 do Ministério da Saúde (MS) divulgada em 12 de junho de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.