GILMAR MENDES: LAVA JATO GANHOU PROJEÇÃO EXAGERADA E INDEVIDA

GILMAR MENDES: LAVA JATO GANHOU PROJEÇÃO EXAGERADA E INDEVIDA

Segundo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, a Operação Lava Jato teve uma projeção exagerada e indevida. A declaração foi dada ao jornalista Roberto D’Ávila, em entrevista transmitida pela GloboNews, na noite de quinta-feira (14). Para o ministro, apesar dessa projeção, a Lava Jato também adquiriu popularidade. “Toda essa bem-sucedida Operação Lava Jato, que é digna de elogios, levou também ao desaparecimento da classe política, dos partidos políticos. Por isso, ela passou a ter uma lógica própria. Veja que a Lava Jato passou a propor medidas legais, questionar medidas judiciais, a discutir aspectos que transcendem de muito a sua própria competência, a sua própria atribuição, a atribuição dessa chamada força-tarefa”, falou.

“Mas, sobretudo, me parece que o desaparecimento do Congresso com seu papel de contemporização, de moderação e de enfrentamento muitas vezes levou que essa organização, a Operação Lava Jato, ganhasse uma projeção talvez exagerada e claramente indevida. Mas ela ganhou também popularidade”, completou. Na ocasião, o jornalista questionou ainda a proximidade de Gilmar Mendes com alguns presos que tiveram habeas corpus julgados pelo ministro. “Não somos amigos íntimos, somos amigos naquela forma brasileira de ser”, explicou.

Para Mendes, ele é “um aplicador fiel da constituição”. Durante a entrevista, ele contou ainda que ficou surpreso com a notícia que a turma do STF concedia 30% dos habeas corpus pedidos. “Não estamos falando de crimes bárbaros. Às vezes, estamos falando de furto de fita de vídeo, de bambolê. Não é que a turma seja muito concessiva, é que há uma dureza da lei penal por aí, por razões que às vezes se explicam: o furto do bambolê estimula essa prática. Sabe-se lá como se avaliam esses fatos no interior”, falou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.