Samuelita Santana

SAMUELITA SANTANA- SOBRE SENTIMENTOS, PANDEMIA E FLORES

Um maço de flores bateu à minha porta. O olhar divertido por trás da máscara do entregador tentando captar as emoções da surpresa, me advertiu de súbito que eu não deveria de forma alguma pronunciar a frase que quase escapa da boca: “são pra mim?”. Não, eu não disse isso. Apenas agradeci e esperei gentilmente que ele se dirigisse ao elevador enquanto fechava com toda a educação possível a porta.

SAMUELLITA SANTANA - A IMORAL VINGANÇA DA CORRUPÇÃO

_”No Brasil, a corrupção não quer apenas impunidade, quer vingança”   Ministro do STF, Luís Alberto Barroso_ Na calada da pandemia, o torto e o capenga, quando não estão beligerando, se unem com o propósito de fortalecer ofensivas e manterem-se de pé. E o povo brasileiro, na busca ansiosa por estratégias e informações confiáveis que lhe ajude a sobreviver e a driblar os riscos de um vírus letal que já matou mais

SAMUELITA SANTANA- O DESAFIO PARA O BOLSHOI BRASIL DANÇAR BRASILEIRO

  “Falta quebrar barreiras. A barreira do biotipo, da cor da pele. Quando tive consciência de que com minha arte posso me expressar com meu corpo e me aceitar do jeito que sou, caiu a ficha: Eu nasci para isso”. Ingrid Silva, bailarina brasileira da Cia Dance Theatre of Harlem, de Nova York.  Única extensão no mundo fora de Moscou o Bolshoi Brasil, instalado na cidade de Joinville (SC), é notoriamente

SAMUELITA SANTANA - A REVOLUÇÃO DO JORNALISMO LENTO

Retornando à coluna Visualidades após um breve descanso – período em que inexoráveis reflexões sobre os difíceis tempos em que vivemos ganharam espaço -, me ocorreu essa abordagem sobre a importância do jornalismo em tempos caóticos e pandêmicos, sua sobrevivência, readequação e credibilidade. Um tema nada fácil em épocas de fake news, amadorismo e enxurrada de “influencers” produzindo conteúdos a torto e a direito nas redes sociais. Há os que defendam essa febre de “exibir

SAMUELITA  SANTANA - É NATAL E O FUTURO PEDE UM XEQUE-MATE

Fora do meu habitat, sem direito a algumas boas regalias que a terrinha de São Salvador me proporciona, como o sol nosso de quase todo dia, o vento fresco, os burburinhos da noite chegando pela varanda, o saboroso acarajé na esquina que bem escolher e a praia logo ali, me pego aqui e acolá nos sobressaltos que esse “fuori posto” (fora de lugar) me traz. Como boa notívaga, depois de maratonar madrugada

SAMUELITA SANTANA- PASSA UMA CARTA MAGNA AÍ POR FAVOR?

A missão assumida pelo deputado Ricardo Barros – PP  como líder do governo na Câmara, é fruto daquelas negociações do presidente Jair Bolsonaro com o Centrão, com escopo de ampliar sua base de sustentação e minimizar os inúmeros problemas de relacionamento entre o Executivo e o Congresso. Para quem não se lembra, Barros foi o relator da chamada Lei de Abuso de Autoridade que prevê, por exemplo, punições para magistrados,

SAMUELITA SANTANA- QUE PAÍS RISÍVEL É ESSE?

Um Presidente da República que não tem papas na língua fala o que bem quiser. E, naturalmente, ouve o que bem não quer. Além de: correr o risco de não ser levado a sério, de perder credibilidade, de não respeitar liturgias que o cargo requer e de, claro, ser absolutamente contrariado pelos fatos que se colocam bem diferentes da sua fala. Quando Jair Bolsonaro alardeou ter acabado com a Lava Jato

SAMUELITA SANTANA- SOBRE A BREVIDADE DA VIDA EM TEMPOS DE PANDEMIA

A filosofia estoica – entre outros sossegos que aquietam a alma – nos leva a considerar que não se pode alterar e nem controlar os eventos naturais do mundo. Eles acontecerão a despeito dos nossos desejos, dos nossos recursos, dos nossos conhecimentos e dos nossos avançados aparatos tecnológicos. Simplesmente porque o homem não pode controlar TUDO o que está ao seu redor. Ao contrário, a natureza é voluntariosa, imperativa e

SAMUELITA-  BRASIL EM RETROCESSO. O SONHO ACABOU ?

Me ponho silenciosa a refletir esse triste momento do país. Triste por tudo! Pela pandemia que nos assola, pelos inacreditáveis mais de 125 mil mortos,  brasileiros que se foram assim repentinamente e de forma tão solitária, por tantas famílias enlutadas, pela falta de solidariedade genuína de um governo que enfrentou a crise de forma tão negligente e, ainda, pela natureza perversa de certos gestores – com matizes políticas diversas, diga-se –

SAMUELITA- JORNALISMO COM DIPLOMA E AS FAKE NEWS: DE QUE SE QUEIXA A CORTE ?

Nesse embate contra as fake news que o Supremo Tribunal Federal tomou ofensivamente para si, na tentativa de punir e brecar as labaredas de ódio que cospem fogo sobre as paredes do seu Palácio, podemos, quem sabe, refletir que o STF esteja provando do amargo veneno elaborado no tubo de ensaio da sua própria corte. Em 2009 os supremos ministros, por 8 votos a 1 – eu disse 8X1, quase unanimidade portanto