José Maciel dos Santos Filho

JOSÉ MACIEL: O GOVERNO EM DAVOS

A participação do Presidente Bolsonaro no Forum de Davos parece ter causado uma certa frustração ou decepção em parte do universo de analistas, sobretudo em face do pequeno tempo usado no discurso (6 minutos dos 45 minutos disponíveis) e de algumas declarações genéricas em certos temas caros aos mercados. Faltou dar alguns detalhes em determinados momentos de sua intervenção. Mas, a participação do governo tem de ser avaliada também pelas

JOSÉ MACIEL: O CHOQUE LIBERAL E O AGRONEGÓCIO NO NOVO GOVERNO

Com a posse no primeiro dia de janeiro, o governo Bolsonaro vem cercado de muita expectativa, mas também, a nosso juízo, de muitas preocupações. Com efeito, as polêmicas declarações a respeito da orientação de nossa política externa e comercial com relação aos chineses e aos árabes (aqui por conta da possível mudança da sede da embaixada para Jerusalém e possíveis reações  do bloco árabe) preocupam sobremaneira e precisam ser neutralizadas

JOSÉ MACIEL: PROPOSTAS DA FUTURA MINISTRA DA AGRICULTURA 

Considerada por parte da imprensa como uma  pessoa competente e tecnicamente preparada para o cargo  que exercerá a partir de janeiro próximo, a exemplo de Paulo Guedes, na  Economia, Sergio Moro, na Justiça e Segurança Pública, e Tarcísio de Freitas, na Infraestrutura (ver a coluna de Eliana Cantanhêde , no Estadão, de 16 de dezembro último), a Ministra Tereza Cristina, da Agricultura, até então Coordenadora da Frente Parlamentar da Agropecuária

JOSÉ MACIEL : MEDIDAS PARA O  AGRONEGÓCIO NO NOVO  GOVERNO

Enquanto ´persiste o quadro de escassa sinalização das políticas setoriais pelo novo  governo, o economista Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, já deixou claro sua posição de cortar subsídios para  todos os setores produtivos. A prevalecer esse posicionamento, o cenário previsto  é de um orçamento apertado para o setor agropecuário e todos os outros  segmentos da economia. Supondo um contexto mais realista, de manutenção dos atuais patamares de subsídios, o

JOSÉ MACIEL:                                                                                                                                             AINDA A PROPÓSITO DO GOVERNO  BOLSONARO

Além do desconhecimento dos detalhes  de  diversas  propostas do novo governo, manifestado em coluna anterior, queremos adicionar outras preocupações em relação à política externa e ao setor agropecuário. Inicialmente, a nomeação do novo titular do Ministério das Relações Exteriores, a julgar pelas inquietações observadas no âmbito de alguns analistas, sobretudo relacionadas ao  alinhamento com o governo Trump e às supostas posições contra a ‘”China  Maoista”, constitui motivo de preocupações no

JOSÉ MACIEL: O AGRONEGÓCIO NO GOVERNO  BOLSONARO

Vitorioso na eleição presidencial, o programa do governo Bolsonaro para o agronegócio permanece vago, sem detalhamento, com várias indefinições e alguns   movimentos de “idas e recuos”. Nesse contexto, destacamos pelo menos dois pontos. O primeiro diz respeito à ideia cogitada inicialmente da incorporação do  Ministério do Meio Ambiente pela pasta da agricultura. Trata-se de uma ideia , a nosso juízo, inapropriada por pelo menos duas razões. A primeira é que poderia

JOSÉ MACIEL: DEFENSIVOS AGRÍCOLAS EM DEBATE NO CONGRESSO NACIONAL

A Revista Pesquisa, da FAPESP-Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, de setembro último, publica oportuno artigo a respeito do PROJETO DE LEI 6.299 de 2002, que debate a regulamentação de defensivos agrícolas (que combate pragas e doenças ) e foi aprovado recentemente em uma comissão da Câmara dos Deputados. O projeto foi apresentado na ocasião pelo atual Ministro da Agricultura , Blairo Maggi. Preliminarmente, o Brasil

JOSÉ MACIEL: O AGRONEGÓCIO NO DEBATE ELEITORAL  

Após os debates iniciais dos candidatos à presidência e vice-presidência da  república, e dos coordenadores dos programas econômicos dos partidos, a sinalização dos principais pontos  das políticas setoriais continua escassa, salvo em raros momentos em que este ou aquele candidato detalha um pouco mais, especialmente em debates nas entidades de classe, a exemplo de discussões no âmbito da CNA ou CNI. Foi possível constatar também que os entrevistadores nos diversos

JOSÉ MACIEL - O AGRONEGÓCIO E OS PRESIDENCIÁVEIS

Com a proximidade da eleição presidencial , os candidatos lançam e registram seus programas de governo junto à justiça eleitoral, e os os coordenadores econômicos têm explicitado suas análises e propostas em diversas oportunidades, como os programas da Globo News apresentados recentemente. A marca maior é a escassa sinalização presente nas políticas setoriais , a exemplo da indústria e do agronegócio . Nessa linha , e no plano das expectativas,

JOSÉ MACIEL: O AGRONEGÓCIO E OS PRESIDENCIÁVEIS

Com a proximidade da eleição presidencial , os candidatos lançam e registram seus programas  de governo junto à justiçaeleitoral, e os os coordenadores econômicos têm explicitado suas análises e propostas em diversas oportunidades, como os programas da Globo News apresentados recentemente. A marca maior é a escassa sinalização presente nas políticas setoriais , a exemplo da indústria e do agronegócio . Nessa linha , e no plano das expectativas, em relação ao