José Maciel dos Santos Filho

JOSÉ MACIEL : AGRONEGÓCIO E ACORDO MERCOSUL/UNIÃO EUROPEIA

Na última semana de junho ,o Mercosul e a União Europeia concluíram as negociações para a criação de uma Zona de Livre Comércio, depois de 20 anos negociações. Entretanto, para entrar em vigor, os termos do Acordo terão de ser ratificados pelo Parlamento Europeu e  pelos parlamentos do países dos dois blocos, processo esse que pode  durar algo como  2 anos, segundo informam alguns analistas. As primeiras avaliações dão conta que o citado acordo  deve

JOSÉ MACIEL: O NOVO PLANO SAFRA   

Enfim, o governo federal anunciou o Plano Safra para a temporada 2019/2020, estabelecendo medidas já mais ou menos esperadas. Contemplando os agricultores de todos os portes num único plano, o documento prevê  um aporte aproximado de 225,6 bilhões de reais para apoiar a produção agropecuária nacional. Desse total, 222,74 bilhões de reais destinam-se ao crédito rural (custeio, investimento e comercialização), 1 bilhão de reais vão para o seguro agrícola e 1,85

JOSÉ MACIEL: AGRONEGÓCIO E INCERTEZAS NO ÂMBITO DO GOVERNO

Decorridos cinco meses de gestão, o governo Bolsonaro continua oscilando e gerando incertezas ao tomar decisões concernentes ao agronegócio. Normalmente , as boas notícias são de autoria da Ministra Tereza Cristina e sua equipe, mas os ministérios da Economia e das Relações Exteriores tem produzido alguns ruídos e causado alguns sobressaltos ao setor agropecuário. Com efeito, a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem envidado esforços incansáveis na busca e diversificação

JOSÉ MACIEL: SUGESTÕES PARA OS PRÓXIMOS "PLANOS SAFRA"

Contrariamente ao que ocorre em outros países, o Brasil tem adotado o Plano Safra como principal instrumento de planejamento agropecuário, com horizonte temporal anual ou de um ciclo agrícola, sendo lançado e começando sua vigência  habitualmente em julho de cada ano. Nesse Diploma, estão explicitados os volumes do crédito rural para as diversas modalidades,com os encargos e juros, inclusive os volumes de financiamento às taxas de juros controlados. Alguns programas

JOSÉ MACIEL: OS EMBATES ENTRE FAZENDA, ECONOMIA E AGRICULTURA

Têm sido frequentes as disputas entre o  Ministério da Fazenda/Economia e o da Agricultura, pelo menos desde a edição dos chamados Planos Safra anuais, e os embates acirram-se geralmente nos meses que antecedem o lançamento dos  referido Planos, normalmente nos meses de junho ou julho de cada ano, quando as equipes das duas Pastas se reúnem para definir os números e volumes de recursos a serem aplicados no próximo ciclo

JOSÉ MACIEL: ALÉM DA AGENDA PREVIDENCIÁRIA

O governo federal  tem na aprovação da reforma da previdência no Congresso sua grande aposta para a retomada dos investimentos, baseado no suposto de sua importância para o  crescimento econômico em bases sustentadas. Não obstante, cresce entre os economistas a convicção de que o equacionamento da previdência, embora indispensável, não é suficiente para o o crescimento da economia. é preciso implementar, simultaneamente, uma agenda de medidas no plano microeconômico para

JOSÉ MACIEL : A AGROPECUÁRIA  NO  NOVO  GOVERNO: EMBATES E INSPEÇÃO SANITÁRIA

Enquanto o Ministério da Economia e a equipe econômica colocam o “bloco na rua” com o lançamento  da proposta de Reforma da Previdência, pouco se sabe ainda sobre as propostas iniciais que os demais ministérios estão preparando para “entrar na avenida”. No que diz respeito ao Ministério da Agricultura, as notícias que chegam dão conta de “ruídos” entre a a Ministra  Tereza Cistina e o Ministro Paulo Guedes por conta

JOSÉ MACIEL: A PROPÓSITO                                                                                                                       DA  FAFEN  NA BAHIA

No Brasil, tem sido habitual a postura de governos estaduais de envidarem esforços no sentido de atrair  grandes empresas e empreendimentos estratégicos com potencial de geração de impactos e efeitos multiplicadores significativos por toda a economia dos respectivos Estados. E isso tem sido feito, em boa medida, pela falta de uma política  de desenvolvimento regional digna desse nome por parte dos governos centrais. Todos sabem da luta que alguns governos

JOSÉ MACIEL: O GOVERNO EM DAVOS

A participação do Presidente Bolsonaro no Forum de Davos parece ter causado uma certa frustração ou decepção em parte do universo de analistas, sobretudo em face do pequeno tempo usado no discurso (6 minutos dos 45 minutos disponíveis) e de algumas declarações genéricas em certos temas caros aos mercados. Faltou dar alguns detalhes em determinados momentos de sua intervenção. Mas, a participação do governo tem de ser avaliada também pelas

JOSÉ MACIEL: O CHOQUE LIBERAL E O AGRONEGÓCIO NO NOVO GOVERNO

Com a posse no primeiro dia de janeiro, o governo Bolsonaro vem cercado de muita expectativa, mas também, a nosso juízo, de muitas preocupações. Com efeito, as polêmicas declarações a respeito da orientação de nossa política externa e comercial com relação aos chineses e aos árabes (aqui por conta da possível mudança da sede da embaixada para Jerusalém e possíveis reações  do bloco árabe) preocupam sobremaneira e precisam ser neutralizadas