Antonio Wilson Ferreira Menezes

WILSON F. MENEZES: A ECONOMIA EM TEMPOS DO CORONAVÍRUS

No final dos anos 80, o Japão era o grande astro do comércio internacional. Era o tempo do just in time, kanban, círculos de controle de qualidade etc. nascidos inicialmente na Toyota, depois se estendeu para outras indústrias de montagem. Com sua nova ordem de organização industrial, esse país inundou o mercado de carros dos Estados Unidos, a despeito da forte apreciação da moeda japonesa. Nesse momento, as empresas japonesas

WILSON F. MENEZES - ECONOMIA E POLÍTICA: O MERCADO DE TRABALHO UM ANO DEPOIS

Uma desvalorização do Real face ao dólar torna os produtos brasileiros relativamente mais baratos para o resto do mundo. Significa dizer que uma desvalorização cambial provoca um incentivo às nossas exportações. Isso é muito bom, notadamente quando se sabe que a economia brasileira vem padecendo, nos últimos anos, de fraco crescimento ou mesmo crescimento negativo de seu PIB. Para tanto, tem-se toda nossa produção de commodities e uma elevada capacidade

PAULO AMILTON MAIA - O IMPOSTO SOBRE O PECADO

Por Paulo Amilton Maia Leite Filho Na semana passada tivemos a realização de mais um Fórum Econômico Mundial realizado na cidade de Davos, Suíça. Como todos sabem, neste encontro se reúnem as principais lideranças políticas e empresariais do mundo. Representando o Brasil, tivemos a presença do ministro da economia, senhor Paulo Guedes. Neste encontro o ministro lançou a ideia de que na reforma tributária que o atual governo irá propor

WILSON F. MENEZES: LIBERALISMO E GLOBALISMO: A FACE DA NOVA ORDEM MUNDIAL

Liberalismo. Apenas uma palavra, mas seu significado abala alicerces interpretativos do funcionamento das estruturas sociais. Existem muitas formas de uso para o termo liberalismo: o moral, permissivo em termos de hábitos e costumes; o político, quando é permitida a existência de uma estrutura multipartidária, garantindo uma representação diferenciada do vários agrupamentos sociais e o econômico, que remete imediatamente a uma estrutura de mercado para o bom funcionamento da economia. Ademais,

WILSON F. MENEZES : MAIS TRABALHO INFORMAL COMO PROVA DE UMA NOVA DINÂMICA ECONÔMICA

Em matéria de 16 de novembro, O Estadão afirma que “A informalidade recorde no mercado de trabalho está ajudando a derrubar a produtividade da economia brasileira, que se recupera lentamente da recessão vivida entre 2014 e 2016”. Trata-se de um argumento falacioso, até mesmo pela ausência de um conceito de informalidade para assegurar a veracidade dessa afirmação,ainda que se possa deduzir esse conceito através das formas que são sugeridas, ou

WILSON F. MENEZES : A UNIVERSIDADE BRASILEIRA: ERVA, PROMISCUIDADE E UNDERGROUD

O trabalho de Darcy Ribeiro em certa medida complementa a obra de Paulo Freire, com sua educação libertária através do conceito de pedagogia do oprimido tendo em vista um processo de inclusão social. Isso porque os projetos desses dois pensadores abraçam uma articulação entre a alfabetização,o ensino básico e o universitário para o conjunto do sistema educacional brasileiro. Em a Universidade Necessária (1969), Darcy aponta a viabilidade de formação de

WILSON F. MENEZES : QUE VENHA A REFORMA FISCAL: ELEMENTOS PARA ENTENDER E OPINAR

A dimensão dos recursos fiscais que sai da economia para as mãos do governo está intrinsecamente relacionada com o tamanho que se quer do Estado. Ademais, a forma de se levantar esses recursos deve influenciar o mínimo possível a dinâmica de funcionamento dos mercados, ou seja, não provocar instabilidades desagradáveis ao processo econômico como um todo. Não se pode, portanto, esquecer o adágio popular: “muito imposto, mata o imposto”, daí

WILSON F. MENEZES: A COMPLEXIDADE DO DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR

A literatura econômica não apresenta um consenso quanto à explicação desse importante fenômeno econômico chamado desemprego. Deixa, portanto, de existir uma agenda única de políticas econômicas e sociais que venham eliminá-lo ou mesmo reduzi-lo. O Banco Mundial, por exemplo, costuma atribuir o problema do desemprego à falta de liberdade do comércio internacional e ao impacto das novas tecnologias sobre a sociedade. A OCDE, por sua vez, responsabiliza a forte regulamentação

WILSON F. MENEZES : GOOD-BYE, MARX! ADIEU PT!O INFERNOEXISTE, MAS NÃO SERÁ MAIS AQUI

Não há relação possível ou imaginária entre as conclusões dos textos econômicos de Marx e a evolução dos acontecimentos no mundo. Isso é verdadeiro, mesmo quando se considera O Capital, sua obra maior produzida na fase considerada de maturidade intelectual do autor. Assim, tanto no que diz respeito aos países economicamente mais avançados, quanto em outros que tentaram seguir sua utopia, as experiências socializantes foram puramente ideológicas, seguidas das maiores

WILSON F. MENEZES : REFORMA DA PREVIDÊNCIA OU RECESSÃO E CRISE ECONÔMICA

Remédios podem ser amargos, mas nem por isso deixam de ser necessários. Esse é o caso da reforma da previdência brasileira. Pode-se optar pelo sistema de repartição ou capitalização, pode-se elevar a idade para que se possa aposentar, pode-se aumentar o tempo de contribuição para se obter uma aposentadoria, pode-se…, mas, não se pode deixar de fazê-la. Caso contrário, ficam impossibilitadas todas as ações atrativas que possibilitem alavancar nosso crescimento