ARMANDO AVENA: O TIRO DE BOLSONARO PODE ACERTAR O BRASIL

A entrevista de Jair Bolsonaro no Jornal Nacional esta semana mostrou que o candidato do PSL à Presidência da República entra na luta eleitoral disposto a atirar para matar. A declaração pode ser tomada literalmente, afinal, o capitão do exército disse na entrevista que no seu governo a polícia poderá entrar nas áreas de conflito e “matar 10, 15 ou 20 com 10 ou 30 tiros” e deve ser condecorado.

ADARY OLIVEIRA: COMO SAIR DA CRISE ECONÔMICA

  A crise econômica na qual estamos mergulhados está demorando de passar. Apesar dos índices econômicos, tais como índice de inflação, taxa de juros e PIB indicarem melhora, o desemprego continua alto e não dá sinal de evolução no curto prazo. A queda nas vendas do comércio varejista e a consequente redução da produção e elevação dos estoques, termina por atingir o governo que passa a arrecadar menos impostos. Se

ARMANDO AVENA: BAHIA E A CONCENTRAÇÃO ECONOMICA E DEMOGRÁFICA

Apenas 35 municípios concentram 50,4% da população baiana, segundo as estimativa divulgadas pelo IBGE. A outra face dessa mesma estatística indica que metade dos munícipios estaduais abriga apenas 15% da população. Isso significa que existe uma Bahia que se adensa e toma escala demográfica e outra que míngua e, gradualmente, se torna um deserto de pessoas.  O dado é extremamente preocupante e mostra a necessidade de uma nova política urbana

ELEIÇÃO 2018: POR ENQUANTO, A POLARIZAÇÃO É OUTRA

Os políticos precisam cultuar a arte do autoengano, afinal necessitam acreditar nos seus candidatos, mesmo quando as pesquisas indicam que são poucas suas possibilidades de êxito. Entre os políticos do PT e do PSDB, o autoengano do momento tem o nome de horário eleitoral gratuito. O PSDB e seu candidato Geraldo Alckmin, por exemplo, apostam todas as suas fichas no programa eleitoral, mas nada está a indicar que o tempo

ARMANDO AVENA: A INTERNET  À SERVIÇO DO CAPITALISMO

  A internet e as redes sociais estão à serviço do capitalismo. É simples assim. E não poderia ser de outra maneira, afinal, embora tenha sido criada como uma rede acadêmica de pesquisa, foi sob a égide do capitalismo que a internet se desenvolveu e hoje é usada por mais de 4 bilhões de pessoas. Estar à serviço do capitalismo não é um mal em si mesmo, pelo contrário, o

BAHIA: A DISPUTA COMEÇOU

O encontro dos principais pré-candidatos ao Governo do Estado Bahia, promovido pelas federações de comércio, indústria e agropecuária e realizado na última terça-feira deu o tom de como será a disputa entre o governador Rui Costa e o candidato da oposição José Ronaldo.  Os candidatos se apresentaram de forma separada, mas foi possível perceber que Rui Costa, que lidera com folga as pesquisas de intenção de votos, vai focar seu

ADARY OLIVEIRA: COMO EVITAR UM SALTO NO ESCURO

  Certamente o leitor já ouviu falar do motorista que caiu num buraco pensando que era uma poça d´água enquanto dirigia por uma estrada. Ou de um hóspede dum hotel que ficou paraplégico ao saltar para dentro de uma piscina sem observar que ela estava em manutenção e sem água. Ou ainda de uma firma que faliu antes mesmo de se iniciar a amortização de um financiamento, tendo de entregar

A.AVENA : PRECISAMOS FALAR SOBRE VIOLÊNCIA

Os candidatos a presidente precisam começar a falar sobre a explosão da violência e sobre suas propostas para restaurar a paz no Brasil. No ano passado morreram 60 mil pessoas no país, quase o dobro do número de mortos na Síria, país envolvido em uma sangrenta guerra civil. O número é alarmante e a grande maioria das vítimas são os jovens, o que significa que o Brasil está matando seu

ARMANDO AVENA: POLÍTICA NO BRASIL: TUDO JUNTO E MISTURADO

A política existe para viabilizar a governança e para garantir estabilidade do governo. No Brasil, no entanto, a política existe para garantir o poder, não para viabilizar o governo. Política no Brasil é tudo junto e misturado e de tal maneira que ninguém sabe quem é quem no processo eleitoral. A coisa é tão confusa que o PP, o PSD e o PR, que na eleição presidencial vão apoiar o

A FIOL E O FUTURO DA BAHIA

As lideranças empresariais e políticas da Bahia precisam se mobilizar para garantir que os candidatos à presidente da República coloquem a conclusão da FIOL – Ferrovia Oeste-Leste como prioridade de governo. E não apenas o trecho principal, ligando Ilhéus a Caetité, mas também os trechos 2 e 3 ligando Caetité a Barreiras e depois a Figuerópolis, no Tocantins. Se chegar até Barreiras,  a ferrovia estará a cerca de 400 quilômetros