Saúde / Educação

HGRS REGISTRA AUMENTO DE 43% NO VOLUME DE PROCEDIMENTO PARA VIAS BILIARES
HGRS REGISTRA AUMENTO DE 43% NO VOLUME DE PROCEDIMENTO PARA VIAS BILIARES

O Hospital Geral Roberto Santos (HGRS) registrou, no último ano, um aumento de 43% no volume de colangiopancreatografias retrógradas endoscópicas realizadas. Mais conhecido pela sigla CPRE, o exame endoscópico é indicado para a detecção e tratamento das doenças do sistema digestivo. No ano de 2018, o HGRS passou, também, a ofertar mais vagas para a Central Estadual de Regulação (CER). Em 2017, eram 61 exames. Já no ano passado, foram realizados 161, correspondendo a um incremento de 164%. Hoje, um quarto das CPREs realizadas no Serviço de Endoscopia Digestiva e Centro de Hemorragia Digestiva (SED-CHD-HGRS) são para pacientes regulados.

 

Na avaliação do diretor-geral do HGRS, o anestesiologista José Admirço Lima Filho, o resultado é consequência de muito investimento. “Por ser um procedimento de alta complexidade, a CPRE foi uma das coisas em que mais investimos, tanto em equipamentos como em treinamentos para a equipe médica. Antes, só conseguíamos executar CPRE em três ou quatro turnos e, hoje, a gente realiza em, praticamente, seis dias por semana. Temos atendido não só pacientes internados no hospital, mas, também, pacientes de toda a rede de saúde”, destaca.

Para o gestor, por se tratar do maior hospital público do Norte e Nordeste, o HGRS precisa estar sempre preparado para oferecer o procedimento de maneira qualificada ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). “A CPRE tem o intuito de fazer o diagnóstico das vias biliares e, em alguns casos, fazer o tratamento, como quando há obstrução de cálculos. No início, nós não sabíamos precisar a necessidade desse exame, mas, a cada dia que passa, temos percebido que é alto o número de pessoas com indicação para tal. O Hospital Roberto Santos tem o perfil de atendimento de pacientes com doenças das vias biliares e do fígado. Por isso, temos buscado melhorias na logística de fornecimento de materiais para o procedimento, que são materiais muito específicos. A tendência é continuar avançando na produtividade”, afirma Admirço.

CPRE

A colangiopancreatografia retrógrada endoscópica utiliza, simultaneamente, a endoscopia digestiva e a imagem fluoroscópica. A técnica, então, tem a vantagem de permitir, numa mesma sessão, detectar e tratar anomalias da árvore biliar e/ou do canal pancreático principal. Na maioria dos casos, os pacientes indicados para CPRE já foram submetidos a outros exames de imagem menos invasivos.

MINISTRO ALERTA SECRETÁRIOS DE SAÚDE PARA AMPLIAR COBERTURA VACINAL DO SARAMPO
MINISTRO ALERTA SECRETÁRIOS DE SAÚDE PARA AMPLIAR COBERTURA VACINAL DO SARAMPO

A baixa cobertura vacinal e a necessidade de ampliar a imunização contra doenças que já haviam sido eliminadas ou erradicadas, mas que voltaram a circular no país, como sarampo, levou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a propor um novo pacto sobre vacinação nesta quinta-feira (14). A proposta foi feita nesta quinta-feira (14) em reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), que conta com representantes das secretarias estaduais e municipais de saúde, além do Governo Federal. Atualmente, três estados (Amazonas, Roraima e Pará) estão com transmissão ativa do vírus por registrarem casos confirmados recentes. Dados preliminares de 2018 apontam que, dos 5.570 municípios do país, 2.751 (49%) não atingiram a meta de cobertura vacinal de sarampo, que é igual ou menor de 95%. Os dados são ainda mais preocupantes nos estados com surto: no Pará 83,3% dos municípios não atingiram a meta; Roraima foram 73,3% e Amazonas, a metade 50%.

“Nós vamos ter que refazer o pacto sobre vacina nesse país. O índice de vacinação está perigosamente baixo. Alguns estados dizem que está muito bom, mas enquanto todos os estados não estiverem com níveis elevados de vacinação os caminhos estarão abertos para a disseminação do vírus”, alertou o ministro da Saúde.

A vacinação é a forma mais eficaz e segura para prevenção de doenças como o sarampo. Em 2018, o Brasil enfrentou um grande surto de sarampo, envolvendo 11 estados, com 10.302 casos confirmados, sendo 90% dos casos concentrado no estado do Amazonas. A concentração dos casos ocorreu entre junho, julho e agosto. A partir de setembro do ano passado já foi possível perceber queda de casos, observada também em outubro.

Em 2019, no entanto, ainda há registro da circulação do vírus do sarampo no país. Até o momento, três casos foram confirmados laboratorialmente no município de Prainha, no Pará. Atento ao cenário, desde o dia 4 de fevereiro, uma equipe do EpiSUS do Ministério da Saúde, especializada em investigação de surto, está no Pará auxiliando o estado e municípios na apuração dos casos de sarampo. O trabalho consiste em investigar em detalhes o surto e identificar a cadeia de transmissão dos casos, verificando os deslocamentos e contatos com pessoas de outras regiões. Além disso, os técnicos auxiliam nas estratégias de intensificação vacinal local, apontando os bolsões de pessoas suscetíveis e áreas de não vacinados para uma adequada vacinação de bloqueio.

“O Ministério da Saúde tem agido incansavelmente para interromper o surto de sarampo no país. É muito importante que todas as pessoas estejam vacinadas e, portanto, protegidas contra a doença. Em muitos casos, por não terem mais notícia da circulação de algumas doenças no país, a exemplo da poliomielite também, pais e responsáveis não as vêm mais como um risco, como é o exemplo do sarampo. Por isso, é necessário ressaltar a importância da imunização e desmistificar a ideia de que a vacinação traz malefícios”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

BIOSHOCK, RAINBOW SIX SIEGE E DIABLO 3 ESTÃO NAS OFERTAS DA SEMANA
BIOSHOCK, RAINBOW SIX SIEGE E DIABLO 3 ESTÃO NAS OFERTAS DA SEMANA

Para quem gosta de jogos de ação, as ofertas de games desta semana apresentam algumas boas oportunidades para economizar. No PS4, por exemplo, há jogos diversos da 2K Games, entre eles a séries Borderlands e BioShock. Já no Steam temos Rainbow Six Siege, aclamado jogo de tiro tático, que é muito comentado no meio de esporte eletrônico. Marcas como Halo e Diablo 3 se destacam nas promoções da Xbox Live. Nesta semana, a PSN oferece promoções de jogos novos e antigos da editora 2K Games, especializada em games de ação, tiro e esportes. Veja os destaques

ARTIFACT TEM QUEDA DE 98% DOS JOGADORES; ENTENDA OS PROBLEMAS DO GAME
ARTIFACT TEM QUEDA DE 98% DOS JOGADORES; ENTENDA OS PROBLEMAS DO GAME

Artifact, jogo de cartas da Valve inspirado no universo de DotA 2, registrou uma queda de 98% dos jogadores no mês de fevereiro, de acordo com o Steam Charts. Em novembro de 2018, quando o game foi lançado, mais de 60 mil usuários acessaram os servidores ao mesmo tempo. O número não se manteve por muito tempo e diminuiu para menos de mil pessoas em apenas dois meses.

Artifact chegou para concorrer com Hearthstone, Gwent e Magic: The Gathering Arena. O lançamento do game foi aguardado e ele chegou como uma grande promessa nos esports. No entanto, o título perdeu popularidade após receber críticas em relação ao seu preço elevado na Steam e pela necessidade de gastar mais dinheiro para comprar cartas fortes. Entenda a seguir os principais motivos que dificultam o sucesso do game.

Modelo de receita do jogo

Atualmente Artifact ocupa a posição 246 no Steam Charts, site de análise dos jogos da loja da Valve. No dia 12 de fevereiro, o site registrou a presença de menos de mil jogadores online, uma queda de aproximadamente 98%. Um dos possíveis motivos para a impopularidade do game é o seu modelo de receita, que requer um alto investimento do jogador.

Artifact custa R$ 77,99. Além de não ter licença gratuita, a jogabilidade pede que os players invistam um valor alto para ter um deck completo. O mercado de cartas criado dentro da plataforma do game é a opção mais rápida para evoluir no jogo. O outro método, mais barato e demorado, é jogar várias vezes contra adversários mais fortes para receber cartas lentamente. Alguns cards, como Axe e Drow Ranger, chegam a custar R$ 80 e R$ 55, respectivamente. Principal concorrente de Artifact, Hearthstone utiliza o modelo free-to-play, ou seja, o download é gratuito, mas é possível comprar cartas com dinheiro real.

INSTAGRAM FORA DO AR: USUÁRIOS RECLAMAM QUE FEED NÃO CARREGA
INSTAGRAM FORA DO AR: USUÁRIOS RECLAMAM QUE FEED NÃO CARREGA

O Instagram apresenta problemas para carregar o Feed. O site Outage Report, que monitora bugs em serviços online mostra pico de reclamações nos Estados Unidos, alguns países da Europa e Índia, além de alguns pontos do Brasil. No Twitter, usuários reclamam de erros para postar fotos e erros ao tentarabrir o aplicativo. A busca no Google Trends por “Instagram fora do ar” teve aumento de 3.900% desde as 15h11 até o momento. Desde a madrugada desta terça-feira (13), usuários estão “perdendo seguidores” no Instagram, já que o contador de followers estaria com um bug. O Instagram informou que o problema seria solucionado até as 15h de hoje.

ANSIEDADE FINANCEIRA, EFEITO COLATERAL DA APOSENTADORIA
ANSIEDADE FINANCEIRA, EFEITO COLATERAL DA APOSENTADORIA

Com a proximidade ou o início efetivo da aposentadoria, é muito comum o que se poderia chamar de ansiedade financeira, mesmo para quem acha que se preparou razoavelmente para essa nova fase da vida. Quando outras fontes de renda cessam e dispomos apenas do benefício e do que foi possível acumular, a sensação de inquietude fica à espreita: e se houver um imprevisto que leve de roldão tudo o que foi economizado? Também pode ocorrer uma “aposentadoria” forçada, por causa de problemas de saúde ou demissão, o que encurta as projeções de poupança e ainda embute o risco de retiradas do que foi guardado bem antes do planejado.

Uma boa forma de lidar com essa ansiedade é zelar pelo orçamento, anotando todas as despesas e conferindo se estão dentro das suas expectativas. Se você calculou mal e está gastando além do que deveria, quanto antes fizer os ajustes necessários, melhor. O ideal seria que, antes da aposentadoria, todos tentássemos viver durante três ou quatro meses com o montante do qual vamos dispor, para testar se nossas premissas estão corretas. Nessa fase, ainda é possível optar por trabalhar por mais alguns anos e engordar o cofrinho.

No que se refere a ajustes no orçamento, quando não é possível cortar despesas, é importante pensar em formas de ganhar um extra. Numa economia ainda patinando, o risco de abrir um negócio é grande, mas o que fazer para ganhar mais R$ 500 ou R$ 1 mil por mês? Não jogue a toalha achando que a partida acabou, porque a experiência é sua aliada. Faça uma lista de suas habilidades e quais poderiam se transformar em prestação de serviços. Vamos lá: dar aulas de reforço escolar; revisar textos; cuidar de animais de estimação quando os donos viajam (o trabalho de pet sitter está em expansão); fazer reparos caseiros; consertar roupas; preparar bolos, lanches ou marmitas; alugar uma vaga de garagem ou o próprio carro; ou um quarto vago e até mesmo a casa toda por temporada, caso tenha onde ficar. Se tiver energia extra, avalie a possibilidade de se tornar inclusive um cuidador.

MELHORES APLICATIVOS PARA BAIXAR MÚSICAS NO ANDROID
MELHORES APLICATIVOS PARA BAIXAR MÚSICAS NO ANDROID

Há diversas opções de aplicativos para baixar e ouvir música no celular com Android. Apps populares, como Spotify, Deezer, Tidal e Napster, permitem transferir canções para o seu smartphone e, em seguida, você pode ouvir músicas offline, ou seja, sem gastar o pacote de Internet ou acessar uma rede Wi-Fi. A maior parte das plataformas oferece o serviço por meio de assinaturas premium, que são pagas. No entanto, é possível reduzir custos com as diferentes modalidades de assinaturas.

Quer saber quais são os melhores aplicativos para baixar músicas no Android? Confira a seguir uma lista preparada pelo TechTudo com dez apps para escutar canções offline no celular.

 

 

PAIS DESAPROVAM MUDANÇAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DO RIO DE JANEIRO
PAIS DESAPROVAM MUDANÇAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DO RIO DE JANEIRO

As aulas nas escolas da rede municipal do Rio de Janeiro iniciaram com polêmica em 2019. De acordo com as mães, diversas mudanças estão prejudicando não só as crianças, mas também a rotina dos pais. “Como vou trabalhar se minha carga horária é superior e ainda tem o deslocamento, que nem tem margem nenhuma para isso? Um absurdo”, reclama uma mãe pelas redes socias, que tem dois filhos na creche Carmen Miranda, na Barra da Tijuca. Segundo ela, o horário, que era das 7h30 às 16h30 passou a ser das 8h às 16h, ou seja, uma hora a menos.

Na escola da Maria, 10 anos, também teve redução, mas de meia hora. “Antes ela entrava às 7h e agora entra às 7h30. Também não tem mais recreio. Além disso, se a criança quiser comer na escola tem que ficar até depois das 11h30. Minha filha não come na escola, mas questionou, pois tem amigos que comem e precisam desta comida. Só que quando bate o sinal, por mais que estejam com fome, vão querer ir embora, pois estudaram direto, sem intervalo. Isso é desumano. Maria achou péssimo”, conta a mãe Debora Ambrósia, 31.

“Combinamos que esse ano ela vai estudar aqui, se preparar para fazer prova e tentar um colégio melhor o ano que vem. Infelizmente, não dá para depender da escola pública. Acho um descaso total”, completa Debora. Alguns pais foram mais longe e estão usando esse descontentamento para reverter as mudanças. Eles criaram uma petição online e estão reunindo assinaturas.

“A comunidade escolar do município do Rio de Janeiro foi surpreendida com a publicação da Resolução 113 pela Secretaria Municipal de Educação, em 17 de janeiro de 2019, no Diário Oficial. Reduzir em uma hora o período escolar, prejudicará a vida da maioria das famílias atendidas. Exigirá grandes mudanças nas rotinas das crianças e de seus responsáveis, impactando negativamente nas relações de trabalho, no orçamento familiar – por nos obrigar a recorrer a transportes mais velozes e/ou conduções escolares ou terceiros para nos auxiliar, e na qualidade de vida”, escreveu a mãe Luciana do Nascimento, na página.

PROJETO CRIA CASAS TEMPORÁRIAS PARA ANIMAIS ABANDONADOS
PROJETO CRIA CASAS TEMPORÁRIAS PARA ANIMAIS ABANDONADOS

Estima-se que na América Latina 25% dos animais de estimação vivem em situação de abandono caracterizada por desnutrição, tortura física e isolamento. Mas uma cidade do Equador, chamada Babahoyo, encontrou uma maneira de ajudar os animais abandonados nas ruas com um projeto piloto.

Enquanto as políticas públicas não resolvem a situação, protótipos de pequenos abrigos temporários com design para cães e gatos foram colocados nas ruas pela Natura Futura Arquitetura. São refúgios de 60 centímetros quadrados construídos em madeira, protegidos contra a água da chuva por pequenos beirais, que ajudam a ter ventilação cruzada.

E se depender da boa vontade dos vizinhos, os animais não passam fome: uma bandeja para comida é colocada ao lado da água para ser reabastecida por quem se compadece da situação. A ideia dos abrigos é criar a consciência de acolher e cuidar desses animais até que encontrem um lar para viver.

Quer acessar mais conteúdos da Casa Vogue? Baixe já o aplicativo Globo Mais. Nele você tem acesso a reportagens exclusivas e às edições das melhores publicações do Brasil. Cadastre-se agora e experimente 30 dias grátis.

REFORMA CRIA PROJETO PRÁTICO, DESCOLADO E BOM PARA RECEBER EM 57 M²
REFORMA CRIA PROJETO PRÁTICO, DESCOLADO E BOM PARA RECEBER EM 57 M²

Quem tem amigos, tem tudo. No caso do André e do Madruga (respectivamente ser humano e ser canino), moradores deste apartamento paulistano, a máxima é pura verdade. Isso porque eles moram um andar abaixo da amiga e arquiteta Beatriz Beatriz Ottaiano, sócia de Daniele Okuhara no escritório Doob Arquitetura. As duas assinam juntas a reforma que transformou este apê de 57 m² em lar. A principal mudança aconteceu quando a varanda passou a fazer parte da área social, aumentando o espaço do estar. Ainda assim, o canto mais próximo da sacada continua com clima de área externa, graças à decoração com plantas e tapete colorido, que deixa o espaço mais acolhedor. Como toda a marcenaria foi feita sob medida, a estante da sala ganhou módulos para abrigar a coleção de CDs e DVDs do morador, músico nas horas vagas. Na paleta, os tons recaem para o estilo industrial, com muito cinza, preto e concreto pontuados por madeira clara no tom de fresno. Pode reparar: até a bancada móvel que delimita a cozinha ganhou rodízios que seguem a linguagem. A área íntima repete os acabamentos e cores do restante do apartamento, confirmando o estilo.