COLUNISTAS
 

ARMANDO AVENA - ELEIÇÕES 2018: A CHAPA DO GOVERNO
LUCAS LEAL - A SEMANA NA BOLSA - NOVA MÁXIMA HISTÓRICA
JOSÉ MACIEL - AGRONEGÓCIO SUSTENTÁVEL GANHA ADESÕES E ESPAÇOS


BUSCA
 



ENTREVISTAS
 


LIDICE DA MATA - SENADORA DO PSB PELA BAHIA


SEU INVESTIMENTO
 


BC E ASSOCIAÇÃO LANÇAM CAMPANHA PELO USO CONSCIENTE DO CARTÃO DE CRÉDITO




FRASE DO DIA
 


"Eu vou para federal porque o ambiente da política na minha região proporciona um fato inusitado: não tem nenhum candidato da base em Feira"

Zé Neto 
Deputado Estadual 









ENTREVISTAS
 
EURES RIBEIRO - PRESIDENTE DA UPB BAHIA


BE- O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA TEM RECUSADO MUITAS CONTAS DE VÁRIAS PREFEITURAS PELO INTERIOR DA BAHIA. COMO O SENHOR ANALISA ESSA QUESTÃO?

EU-
Os prefeitos pelo interior do estado estão tendo muita dificuldade em fechar as suas contas devido ao gasto com pessoal. O que acontece é que o tribunal está computando os servidores que trabalham na prefeitura porém em programas nacionais do governo federal como servidores locais. Outros tribunais não pensam assim e fazem essa distinção. Por isso algumas prefeituras estão tendo suas contas rejeitadas pelo Tribunal da Bahia.

BE - EM RELAÇÃO A ARRECADAÇÃO DOS MUNICÍPIOS O GOVERNO FEDERAL TEM BUSCADO NEGOCIAR A QUESTÃO DOS REPASSES. ALGUMAS REUNIÕES EM BRASÍLIA TÊM OCORRIDO, PORÉM OS REPASSES TÊM DIMINUÍDO. COMO O SENHOR ANALISA ESSA QUESTÃO?

EU-
Nós fomos até Brasília buscar uma solução para os municípios do Brasil, mas o governo federal alega que o país está em crise e acaba não aumentando os repasses para os municípios. Muito pelo contrário, estamos sofrendo com reduções. Eu acho isso muito triste, mas é uma realidade. Se fizermos uma comparação com o ano passado veremos que houve uma redução de 20% nos repasses para os municípios da Bahia. Algumas prefeituras estão com muita dificuldade para fechar suas contas

BE- O GOVERNADOR RUI COSTA E O PREFEITO ACM NETO SÃO OS VIRTUAIS CANDIDATOS AO GOVERNO DO ESTADO NO ANO QUE VEM. COMO O SENHOR OBSERVA ESSE CENÁRIO.

EU-
Veja bem, ainda é muito cedo para se analisar essa questão. Neto tem a total aprovação na capital e Rui tem feito uma excelente gestão pelo interior. Vamos ver o que acontece até as eleições do ano que vem e definir melhor o futuro político do estado. No momento eu acredito apenas que é muito cedo para traçar um cenário correto. Acho apenas que será uma disputa bastante acirrada entre os candidatos.

BE- EM RELAÇÃO A PARTICIPAÇÃO DO PRESIDENTE LULA NA CAMPANHA DO ANO QUE VEM O QUE O SENHOR PODERIA FALAR EM RELAÇÃO AO CENÁRIO BAIANO?

EU-
A Bahia também segue muito com o campo nacional. Vai depender muito se Lula for candidato, haja visto que o presidente tem boa aceitação no Nordeste e na Bahia, mas ainda é muito cedo para fazer uma avaliação

BE- A REFORMA POLÍTICA ESTÁ TRAMITANDO EM BRASÍLIA E UMA DAS QUESTÕES MAIS POLÊMICAS ENVOLVIDAS É A QUESTÃO DO FINANCIAMENTO DE CAMPANHA. COMO O SENHOR ANALISA ESSA QUESTÃO?

EU-
Eu acredito que a reforma ainda precisa de análise. Está na bola, na mão do congresso nacional, mas nós sabemos qual o desfecho disso. Só temos que assistir calados, paralisados, qual vai ser o caminho. Embora eu digo que o pior caminho é esse do tráfico de drogas, porque se não tiver uma resposta satisfatória vai ser o tráfico de drogas ou a agiotagem ou o dinheiro público, que é horrível também. Eu acho que a melhor resposta que o congresso pode oferecer a sociedade é debater mais questão e não impor uma reforma mal esclarecida





Rua Dr. José Peroba, 297, edf. Atlanta Empresarial, sala 709/710 - Stiep - Salvador CEP: 41.770 - 235 - Tel: 3565 - 2888