COLUNISTAS
 

LUCAS LEAL - A SEMANA NA BOLSA - OBJETIVO ATINGIDO
MILTON CEDRAZ - POR UMA SALVADOR AMBIENTALMENTE CORRETA
ARMANDO AVENA - BAHIA: A ECONOMIA VOLTOU A CRESCER


BUSCA
 



ENTREVISTAS
 


BRUNO DAUSTER - SECRETÁRIO DA CASA CIVIL DO ESTADO DA BAHIA


SEU INVESTIMENTO
 


JUROS CAEM, MAS TAXA CONTINUA ALTA PARA EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS




FRASE DO DIA
 


"A plena integração entre os sistemas de transportes de trilho e pneus traz para a população a garantia da diminuição do tempo de locomoção e a redução do custo com o transporte público"

Brunno Dauster
Secretário Casa Cívil do Estado









ENTREVISTAS
 
LUIZ CARREIRA - SECRETÁRIO DA CASA CÍVIL PREFEITURA
 


BE- O governo e a Prefeitura estão discutindo as tarifas de integração para o metrô de Salvador. A prefeitura quer um aumento para R$ 1,92 e o governo quer manter em R$ 1,42. Em relação aos custos, quem tem razão?

LC- Não existe discussão sobre aumento de tarifa. O valor da passagem de ônibus foi reajustado para R$3,60 em janeiro, com o índice do  IPCA de 2016, conforme  contrato de concessão.  Em seguida, o governo do Estado estabeleceu o mesmo valor para o metrô. O que está em discussão é a repartição da tarifa na integração, hoje fixada em 60% para o metrô e 40% para o ônibus. Mas isso não tem prejudicado o andamento da integração ônibus/metrô.

BE- O projeto do BRT está estimado em R$ 400 milhões. Quanto desses recursos vem da Caixa e quanto a prefeitura vai colocar?

LC- A primeira etapa do BRT, cujo edital foi lançado no início deste mês, tem custo estimado em R$ 408 milhões. Os recursos são originados de operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal no valor de R$408 milhões, sendo R$300 milhões do programa Pró-Transporte-FGTS e R$108 milhões do Programa de Financiamento das CPAC (Contrapartidas do Programa de Aceleração do Crescimento). Estes financiamentos serão pagos integralmente pela Prefeitura de Salvador.

BE-A prefeitura de Salvador está em vias de se tornar a primeira do Brasil a receber recursos do Prodetur. Qual o montante desses recursos? e onde eles seriam aplicados?

LC-Serão US$ 105 milhões (US$ 52,5 milhões de operação de crédito junto ao BID e US$52,5 milhões de contrapartida da prefeitura). Dentre as obras previstas pelo programa, que será gerenciado pela Secretaria de Cultura e Turismo – Secult,  estão a requalificação da Avenida Sete  e imóveis do Centro Histórico e dos trechos das orlas de Stela Maris-Flamengo-Ipitanga e Barra-Ondina, além de ações de fortalecimento institucional do setor do turismo.

BE - O senhor esteve recentemente em Brasilia para conversar com as agências internacionais e pedir recursos. Qual o destino desses recursos?

LC-Junto com o prefeito ACM Neto, demos prosseguimento às negociações com o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) para operação de crédito de US$ 60,6 milhões,  destinados ao Plano de Saneamento Básico, obras de requalificação urbana, a exemplo do Museu da Musica Brasileira, da Casa da História de Salvador, Praça da Igreja do Bonfim, de saneamento ambiental do Paraguaari, no Subúrbio, dentre outros.  Acompanhamos também o andamento do financiamento do Banco Mundial, de US$ 250 milhões, para implantação de  programas em saúde, educação, assistência social e combate à pobreza. E junto ao BID demos prosseguimento às negociações do Projeto do Novo Mané Dendê, no valor de US$ 135 milhões, um projeto  estruturante nas áreas de urbanização, saneamento ambiental, habitação, inserção social e desenvolvimento econômico no subúrbio ferroviário.  
 
BE- A Prefeitura reformou vários pontos da orla da cidade, porém a região de Piatã, ainda não recebeu a ação do poder publico. Qual a previsão de reforma da região de Piatã?
 
LC-A Orla de Piatã já foi requalificada e entregue à população em outubro de 2015, no trecho da Avenida Orlando Gomes até Itapuã.  No trecho da Boca do Rio até a Orlando Gomes está previsto um concurso público nacional de projeto urbanístico para a requalificação. 

BE- A prefeitura tem feito muitos empréstimos. Como está a capacidade de endividamento da Prefeitura?

LC- A prefeitura tem feito operações de crédito perfeitamente compatíveis com sua capacidade de pagamento. Graças ao saneamento das contas públicas realizado na primeira gestão do prefeito ACM Neto, Salvador encontra-se hoje numa situação confortável com relação aos limites de endividamento estabelecidos pela União, conforme destacado pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, ao autorizar a recente operação de crédito para o Prodetur.  Em seu parecer, o relator da comissão, Senador Fernando Bezerra Coelho, atestou que o município de Salvador está em conformidade como os parâmetros estabelecidos pelo Tesouro Nacional, não possui pendências com a União e encontra-se adimplente com as instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional. O limite de contratação de operações de crédito hoje é de R$ 6 bilhões.

BE - Existira algum projeto que o senhor deveria falar?

LC- O prefeito ACM Neto anunciará nos próximos dias um conjunto expressivo de medidas para a geração de emprego e renda, desburocratização e melhoria do ambiente de negócios, obras de requalificação no Centro Histórico, além de parcerias público-privadas. Estas ações, ao lado dos novos financiamentos externos, do BRT e do Hospital Salvador, deverão marcar esse novo período da gestão de ACM Neto.



 

Rua Dr. José Peroba, 297, edf. Atlanta Empresarial, sala 709/710 - Stiep - Salvador CEP: 41.770 - 235 - Tel: 3037 - 2960