COLUNISTAS
 

ARMANDO AVENA - A PETROBRAS E A ECONOMIA BAIANA
LUCAS LEAL - PANORAMA DO MERCADO: SEMANA DE FORTE ALTA
ADARY OLIVEIRA -A ENERGIA GERADA PELOS VENTOS


BUSCA
 



ENTREVISTAS
 


HUMBERTO MIRANDA - PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DA BAHIA (FAEB)


SEU INVESTIMENTO
 


INVESTIMENTOS DAS PESSOAS FÍSICAS ATINGEM R$ 2,7 TRILHÕES EM 2017




FRASE DO DIA
 


“Os números do IBGE demonstram o caráter exitoso dessa iniciativa. O nosso foco é gerar cada vez mais novos postos de trabalho”

Sérgio Guanabara,
Titular da Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo de Salvador, ao creditar ao programa Salvador 360 o motivo do aumento de empregos.









ARTIGO
 
05/02/2018 11:18
LUCAS LEAL - PANORAMA DO MERCADO: REDUZINDO A VELOCIDADE




Depois de um longo período de alta (seis valorizações semanais seguidas), os investidores reduziram a velocidade, levando o Ibovespa a uma queda de -1,77%. O ano começou forte para bolsa, em janeiro nosso principal indicador acionário fechou com expressiva valorização de +11,14%, o melhor janeiro em doze anos.
 
Nos EUA, o FED manteve as taxas de juros inalteradas, mas disse prever que a inflação aumentará este ano, em um sinal de que a elevação da taxa de juros deve ocorrer na próxima reunião da instituição, em março, já sob o comando do novo presidente Jerome Powell. Na Europa, o PIB da Zona do Euro cresceu 2,7% em 2017, a maior expansão em 10 anos, confirmando a recuperação econômica do velho continente.
 
No Brasil, a divulgação do resultado primário mostrou que o país apresentou déficit de R$ 124 bilhões em 2017, o que representa 1,9% do PIB, o resultado também ficou abaixo da meta de R$ 159 bilhões autorizada pelo congresso. Outro indicador relevante foi a produção industrial que avançou 2,8% em dezembro.
 
Estamos começando o ano em velocidade de cruzeiro e as expectativas para a economia internacional continuam muito positivas. O maior ponto de atenção no cenário internacional está relacionado ao ritmo de elevação do juros por parte do FED, o mercado espera um aumento suave, no máximo três vezes no ano (totalizando 0,75%). Contudo, caso algum problema aconteça, a Autoridade Monetária pode adotar uma postura mais agressiva, elevando o ritmo de aumento da taxa, o que pode mudar o humor do mercado, levando os investidores a migrarem seus recursos para a segurança do juros americano.
 
No Brasil, o principal ponto de atenção é a situação fiscal que continua crítica. No curto prazo, o mercado parece ter deixado isso de lado, pois está precificando uma sucessão presidencial mais comprometida com as reformas. Caso esse cenário comece a se materializar nas pesquisas a euforia deve permanecer, mas se um candidato, que não demonstre compromisso com as reformas comece a ganhar destaque, o mau humor deve voltar a se refletir nos mercados.


 

 
Momento do Mercado

Conforme antecipado no Panorama anterior a tendência continuou forte levando os preços para próximo ao objetivos dos 86,5 mil pontos. Nesse patamar o Ibovespa encontrou uma resistência , e passou a operar  num movimento lateral (entre 86,5 e 84 mil pontos) durante toda a semana.
 
Caso uma realização aconteça o primeiro suporte estará nos 80,5 mil pontos.
 
Caso os preços voltem a subir o primeiro obstáculo vai estar na resistência de 86,5 mil pontos.

AVISO: Em virtude do feriado de Carnaval não teremos panorama na próxima semana, estaremos de volta em 17 de fevereiro.


Bons Investimentos,


Lucas Leal

lucas@officeinvestimentos.com.br


Rua Dr. José Peroba, 297, edf. Atlanta Empresarial, sala 709/710 - Stiep - Salvador CEP: 41.770 - 235 - Tel: 3565 - 2888