COLUNISTAS
 

ARMANDO AVENA - ELEIÇÕES 2018: A CHAPA DO GOVERNO
LUCAS LEAL - A SEMANA NA BOLSA - NOVA MÁXIMA HISTÓRICA
JOSÉ MACIEL - AGRONEGÓCIO SUSTENTÁVEL GANHA ADESÕES E ESPAÇOS


BUSCA
 



ENTREVISTAS
 


LIDICE DA MATA - SENADORA DO PSB PELA BAHIA


SEU INVESTIMENTO
 


BC E ASSOCIAÇÃO LANÇAM CAMPANHA PELO USO CONSCIENTE DO CARTÃO DE CRÉDITO




FRASE DO DIA
 


"Eu vou para federal porque o ambiente da política na minha região proporciona um fato inusitado: não tem nenhum candidato da base em Feira"

Zé Neto 
Deputado Estadual 









ARTIGO
 
25/09/2017 07:51
LUCAS LEAL - A SEMANA NA BOLSA - NA ACUMULAÇÃO


 

Tivemos uma semana de realização para a bolsa brasileira, levando o Ibovespa a terminar o período em baixa de -0,48%, foi o primeiro movimento de queda, após oito semanas seguidas de alta.
 
No Brasil, influenciado pelo controle da inflação, o mercado já está precificando uma Selic abaixo de 7%, no final do ano. No cenário corporativo, o destaque negativo foi a desvalorização das siderúrgicas e mineradoras, que sofreram com a baixa semanal de -11,4% do minério de ferro.
 
Nos Eua, o Banco Central (Fed) manteve a taxa de juros inalterada, no encontro dessa semana, mas anunciou que deve iniciar em outubro a redução no programa de incentivo a economia, para a Autoridade Monetária o mercado de trabalho continua a se fortalecer e a atividade econômica vem aumentando durante o ano.
 
Na semana que se inicia, o destaque internacional será o resultado da eleição legislativa da Alemanha. Nos  Eua, o mercado deve ficar atento ao discurso dos representantes do Fed e a divulgação da revisão dos dados do Pib. No Brasil, será divulgado o resultado primário do Governo Central, ocorre também a decisão da Taxa de Juros a Longo Prazo, atualmente em 7%.
 
 

 

 

Momento do Mercado
 
 
 
Nesta semana, o rali de alta perdeu força e o mercado fez um movimento de acumulação, entre a resistência dos 76,5 e o suporte dos 75,3 mil ponto (ver área de destaque no gráfico). Contudo, a tendência continua de alta e o Ibovespa permanece sendo guiado pela Lta (linha de tendência de alta - ver gráfico).
 
Caso os preços superem a resistência dos 76,5 mil pontos, o próximo objetivo estará nos 78 mil pontos.
 
Caso uma realização aconteça e os 75,3 mil pontos seja perdido, o próximo suporte do Ibovespa estará entre 72 e 71 mil pontos.
 
 
Bons Investimentos,
 
Lucas Leal
 
lucas@officeinvestimentos.com.br


Rua Dr. José Peroba, 297, edf. Atlanta Empresarial, sala 709/710 - Stiep - Salvador CEP: 41.770 - 235 - Tel: 3565 - 2888