A partir de hoje, o festival A Cena Tá Preta volta ocupar o Teatro Vila Velha para quebrar preconceitos e provar, mais uma vez, que se a coisa tá preta, é porque ela tá boa. Desde que foi criado pelo Bando de Teatro Olodum, há oito anos, o festival tem como missão divulgar a arte negra nas diversas linguagens. Nesta edição, o Vila recebe dez dias de intensa programação, reunindo artistas do teatro, dança, música, literatura, cinema, performance e das novas mídias digitais.

Na abertura, logo mais, às 20h, a jornalista, youtuber e humorista Maíra Azevedo, a Tia Má, apresenta o stand up comedy De Cara com Tia Má, no qual aborda de forma bem humorada situações constrangedoras envolvendo raça, sexo e relacionamentos.  

Este ano, o festival A Cena Tá Preta também assumiu o compromisso dar visibilidade às questões de gênero, em um pedido de respeito à diversidade. “Percebemos que as atrações têm em comum o forte discurso sobre as questões de gênero e da diversidade sexual, sintonizado com o momento em que se encontram as lutas das artes negras”, destaca Ridson Reis, ator do Bando de Teatro Olodum e um dos coordenadores do festival. (Correio)