O Fundo Monetário Internacional (FMI) alerta em relatório divulgado nesta sexta-feira, 19, que os riscos para o cenário econômico da América Latina pendem para o lado negativo. A dívida de alguns governos da região está superando a "zona de conforto" e o ajuste fiscal precisa continuar.

O FMI faz recomendações de política econômica para os governos da região: manter a flexibilidade das moedas, seguir com o ajuste fiscal e baixar juros onde a inflação está em queda. Outra sugestão é o estímulo ao comércio regional.

O relatório apresentado nesta sexta em evento na Fundação Getulio Vargas (FGV) em São Paulo foi feito antes do novo escândalo político do Brasil, com as denúncias de que o presidente Michel Temer teria comprado o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. No documento, a previsão é que o Brasil cresça 0,2% este ano e 1,7% em 2018. "A América Latina está lentamente saindo de uma recessão", afirma o FMI.(Estadão)